Ceilândia terá prioridade em obras de saneamento, infraestrutura e mobilidade, garante GDF

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

[Agência Brasília] A
parceria entre o 
governo
de Brasília
 e
a Caixa Econômica Federal sai ainda mais fortalecida após a rodada de reuniões
para avaliação dos convênios firmados com o banco estatal. Nesta terça-feira
(9), foram analisados os contratos de financiamento com recursos do Fundo de
Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para as obras de infraestrutura,
saneamento e mobilidade em diversas regiões administrativas. O encontro ocorreu
na manhã de hoje, na Residência Oficial de Águas Claras.

São mais
de R$ 3 bilhões em recursos. Destes, R$ 766.417.260 já foram aplicados. A
prioridade do encontro desta manhã foi desfazer entraves em iniciativas que vão
atender à população de áreas como Buritizinho, em Sobradinho II; Sol Nascente,
em Ceilândia; e a região de Mestre D’Armas e Arapoanga, em Planaltina. Nesses
locais, estão previstas intervenções de drenagem, pavimentação e
infraestrutura, por exemplo.

O
acompanhamento periódico com a Caixa Econômica Federal é uma forma de dar
celeridade à execução das diversas etapas do convênio, desde obtenção de
licença ambiental ao processo de regularização fundiária. “O resultado da
reunião é bastante positivo. As pendências estão sendo resolvidas e, com isso,
os projetos têm prosseguimento”, destacou a gerente da filial Brasília da
Gerência Executiva de Governo da Caixa Econômica Federal, Maria do Socorro
Sales.

Segundo
ela, a disposição do governo em atender aos pedidos de adequação dos trâmites
processuais tem sido bastante efetiva. “Os recursos ainda não estão sendo
usados na totalidade, mas estamos com um ritmo muito melhor para o andamento
dos processos”, disse a gerente.

Bons
resultados para a área de infraestrutura

O
desempenho da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicosem
resolver as pendências foi um dos destaques apresentados pela equipe do banco
estatal. “Damos nota oito como estímulo. Dá para chegar a dez”, afirmou Maria
Socorro. Para o secretário da pasta, Antônio Coimbra, acompanhamentos como o
que ocorreu são fundamentais. “Fizemos acertos muito importantes com a Caixa
para adequação de prazos e absorvemos aquilo que precisamos para dar
prosseguimento.”

O
encontro serve também para ajustar as informações sobre o estágio de obras,
como a de drenagem e pavimentação do Trecho 2 do Sol Nascente. Consta dos
relatórios do banco estatal que o projeto está em análise. Em alguns pontos, o
governo de Brasília já executa a etapa de pavimentação. Estão destinados R$
219.958.811 por meio da carteira de financiamentos do FGTS. Destes, R$ R$
208.960.870 são da Caixa, e R$ 10.977.941, contrapartida do Executivo local.
“Queremos resolver os gargalos, em especial, das obras com interesse social.
Nossa prioridade são as áreas com população de baixa renda”, garantiu o
governador Rodrigo Rollemberg após o encontro com os representantes do banco.

Desde
segunda-feira (8), vem sendo discutido o andamento dos projetos nas áreas de
mobilidade, infraestrutura, habitação, esporte e lazer, saneamento e saúde. Ontem, foram analisadas as obras com convênio por meio do Programa de
Aceleração do Crescimento (PAC) e do Orçamento-Geral da União (OGU)
.
São cerca de 20 convênios para obras nas áreas de habitação, saneamento,
mobilidade, esporte, lazer e infraestrutura. As parcerias somam R$
2.515.290.301,04.

Também
compareceram à reunião o chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio; os secretários de
Fazenda, João Antônio Fleury; e de Mobilidade, Marcos Dantas; os secretários
adjuntos de Gestão do Território e Habitação, Luiz Otávio Alves Rodrigues; de
Planejamento, Orçamento e Gestão, Renato Brown; e de Infraestrutura e Serviços
Públicos, Maurício Canovas; os presidentes da Companhia de Saneamento Ambiental
do Distrito Federal (Caesb), Maurício Luduvice; e da Companhia Urbanizadora da
Nova Capital do Brasil (Novacap), Júlio Menegotto; os diretores-presidentes da
Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF), Marcelo Dourado; e
da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab),
Gilson Paranhos; o diretor do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans),
Léo Carlos Cruz; e o diretor-geral do Departamento de Estradas e Rodagem (DER),
Henrique Luduvice.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: