Ceilândia vira sobre o Taguatinga e engata terceira vitória seguida

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


Pode até ter faltado bom futebol, mas sobrou vontade aos jogadores de Ceilândia e Taguatinga, em partida realizada na tarde deste sábado de Carnaval (25), no estádio Abadião, pela quinta rodada do Candangão.
Após estar por duas vezes em vantagem, o Taguatinga não suportou a pressão dos donos da casa e cedeu a virada. Com um gol no apagar das luzes, o Gato Preto venceu por 3×2 e enfileirou a terceira vitória seguida na competição, ocupando, agora, a quarta posição com 9 pontos e, ainda, com um jogo a mais por disputar em comparação aos seus principais concorrentes.
Antes do jogo, uma tempestade ensopou o gramado do Abadião. É possível que o campo pesado tenha prejudicado um pouco o desenvolvimento da partida, que não foi lá essas coisas do ponto de vista técnico. Todavia, foi um jogo emocionante.
O time rubro-negro saiu na frente com gol do bom zagueiro Bruno. Romarinho empatou para os mandantes logo em seguida. Mas o Taguatinga voltou a estar à frente no placar, com gol de Sena, após falha do sistema defensivo oponente. Os visitantes ainda tiveram a chance de aumentar a contagem, mas Ramon desperdiçou uma penalidade defendida de forma espetacular pelo goleiro Pedro.
Foi aí que entrou em cena o treinador Adelson de Almeida, que optou por poupar alguns jogadores. Muito atento ao jogo, ele fez três alterações que mudaria o panorama da partida. Entraram Elivelto, Michel Platini e Formiga. O trio foi decisivo para fazer a virada acontecer. Primeiro, Elivelto bateu e converteu uma penalidade sofrida por Romarinho. Segundo, Michel Platini, bem posicionado, garantiu a virada e a vitória alvinegra, aos 46 minutos do segundo tempo.
Foi uma vitória com a cara do Ceilândia. O time demostrou, mais uma vez, que é sim um forte candidato ao título. Por sua vez, o Taguatinga segue numa situação extremamente complicada, em último lugar com apenas um ponto em 15 disputados. Ao fim do jogo, o treinador Edmilson Marçal, que também é presidente do clube, reclamou uns bocados da arbitragem de Rogério Bueno.
Com ou sem razão, ele entendeu que o árbitro prejudicou sua equipe com a marcação do pênalti sofrido por Romarinho. A reclamação foi tão enfática que ele perdeu as estribeiras e soltou um palavrão no microfone da Equipe Mais Esportes que o entrevistava naquele momento.
Fonte: http://candangao.com.br

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: