Celina diz que era “burro de carga”

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Avideoteca de Durval Barbosa voltou a pautar o plenário da Câmara Legislativa na tarde de ontem. Sem acordo sobre os vetos que estão trancando a pauta de votação, os parlamentares aproveitaram para discutir outros assuntos, como a nomeação dos concursados, a situação dos hemofílicos e, principalmente, a delação premiada de Durval.
Celina Leão usou o espaço, inclusive, para se defender das especulações sobre sua aparição em uma das gravações. Já o líder do PT, Chico Vigilante, deixou no ar quem poderia ser o próximo a aparecer nas fitas. “É um grande empresário, político e que já foi secretário”, disse.
Apesar de ter sido chefe de gabinete e coordenadora da campanha de Jaqueline, com acesso irrestrito, e ter intimidade com a deputada, Celina descartou a possibilidade de estar sendo usada para desviar o foco da ex-chefe ou que tivesse sido traída, já que Jaqueline nunca teria falado sobre o esquema.


“Eu era, na verdade, burro de carga. Uma pessoa com ônus, mas que não tinha bônus, mas conheço o perfil da Jaqueline e não acho que ela está tentando me colocar em um fogo cruzado”, avaliou. Entretanto, a distrital concordou que pode sim, ter um vídeo dela, em poder de Durval. “Sim, eu fui muitas vezes lá, mas pegar dinheiro, receber propina das mãos dele, nunca, nem um centavo”, afirmou.


Olair Francisco declarou apoio a Celina e disse que entende a dificuldade da parlamentar em tratar do assunto. Para Olair, o que aconteceu com Jaqueline poderia ter acontecido com qualquer deputado, já que Durval era uma autoridade e recebia muitas pessoas. “Você (Celina) pode ter aparecido em um vídeo, por ter somente entrado lá”, falou o distrital. Para Olair, Durval merece o perdão. “Se eu pudesse chamaria ele e dobraria o prêmio. Perdão total, mas, em troca, queremos saber de tudo”.  Já Dr. Michel (PSL) defendeu punição a Durval. “Apesar de ele delatar, é um criminoso e tem que estar atrás das grades”, declarou.


Chico Vigilante (PT) fez questão de contrariar alguns distritais, negando que a cidade esteja intranquila e defendeu ampliação da delação premiada a Durval. “Brasília está tranquila, pois a maioria da população e dos políticos não tem nada com isso. Quero Durval um falastrão. Quanto mais falar, melhor. Que venham a público todas as fitas”.


O parlamentar ainda falou sobre os vídeos. Segundo Vigilante, uma pessoa que viu as gravações alertou para o que está por vir. “Quem assistiu garante que as cenas do Leonardo Prudente são brincadeira de criança perto destas”. Vigilante também questionou qual seria a conotação política dos vídeos. “Alguém acha que Durval fez tudo da cabeça dele? Ele seguiu um comando, uma ordem”, avaliou.

Câmara ainda tenta notificar Jaqueline Roriz
A Corregedoria Parlamentar tentará hoje, pelo terceiro dia seguido, notificar a deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) sobre a investigação das denúncias de recebimento de recursos ilícitos durante sua campanha para a Câmara Legislativa, em 2006. Com a notificação, a deputada deverá apresentar sua defesa, por escrito. Essa será a última tentativa antes da publicação da notificação no Diário Oficial, na segunda. Duas tentativas de notificação já foram feitas, mas a deputada não foi encontrada.

O corregedor da Câmara, deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), disse que, se Jaqueline não for localizada, a partir da citação por meio do Diário Oficial começará a correr o prazo de cinco dias úteis para a apresentação da defesa, independentemente da emissão do recibo de notificação.


Eduardo da Fonte não soube dizer em quanto tempo as investigações estarão terminadas. Isso por que, segundo ele, somente após o recebimento dos argumentos da defesa é que vai saber quais diligências serão feitas e quais testemunhas serão interrogadas. 


Da Redação do Jornal Alô Brasília

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: