Central Única das Favelas- CUFA cria seguro social em Ceilândia.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

O projeto Comunidade Segura beneficiará moradores de diversas comunidades no Rio de Janeiro (Complexo do Alemão, Cidade de Deus e Rocinha), em São Paulo (Paraisópolis e Capão Redondo), em Porto Alegre (Restinga), em Salvador (Liberdade), no Ceará (Lagamar), no Mato Grosso (Osmar Cabral) e em Brasília (Ceilândia). Os prêmios serão divididos em R$ 5.000,00 por Morte Acidental; R$ 5.000,00 por Invalidez Permanente por Acidente; R$ 1.000,00 para Auxílio Alimentação na falta do mantenedor em caso de acidente; R$ 1.000,00 para Auxílio Funeral.
 
Para José Rodolpho Busch, Executivo Comercial da Matriz do Grupo Federal Seguros e um dos idealizadores do projeto Comunidade Segura, a comercialização do seguro social nas favelas seria um negócio inovador e favorável para os moradores das respectivas comunidades. “O ideal seria desenvolver um projeto na busca de um estipulante que tivesse um viés de ligação direta com as classes sociais C, D e E, foco principal da SUSEP, escrito nas entrelinhas da normatização, para que os produtos de microsseguros fossem então comercializados. Fiz um amplo estudo e cheguei à conclusão que a CUFA, Central Única das Favelas, é a única entidade que possui plenas condições para desenvolver a cultura do microsseguro nas comunidades”, especificou Busch.
 
Já o corretor responsável da CUFA e também idealizador do projeto, Carlos Ruy, a parceria com a Federal Seguros no projeto foi fundamental para expandir as ações nas comunidades. “É importante frisar que estamos em um projeto piloto, focados em que através de iniciativas dessa magnitude podemos oferecer mais tranquilidade e seguridades aos residentes nas áreas desprotegidas. Não mediremos esforços para investir o que for preciso na estruturação do departamento de seguros à disposição da CUFA, que já nasce com a excelência necessária no atendimento”, acrescentou Ruy.
 
Nas comunidades, a tensão faz parte da vida dos moradores que estão expostos à morte ou invalidez permanente durante os confrontos entre policiais e traficantes. Quando citamos a violência, há outra causa que preocupa os moradores, como as chuvas e deslizamentos que ocorrem nessas localidades.
 
De acordo com o Secretário Geral da Cufa, Celso Athayde, o projeto Comunidade Segura será uma maneira de todas as famílias terem algum tipo de garantia. “O projeto abrange cerca de 50 mil pessoas e é importante devido a sua função social. Esse seguro seria uma forma da família ter um respaldo nesses momentos tão difíceis e assim não precisar recorrer a lideranças das favelas, que nessas ocasiões são os departamentos locais que dispõe de recursos para sanar parte da dor e amparar com o mínimo de dignidade”, concluiu Athayde.
 
O projeto será lançado no dia 29 de setembro na Cidade de Deus, dia 30 de setembro no Complexo do Alemão e na Rocinha, comunidades do Rio de Janeiro. Em São Paulo, será lançado no dia 13 de outubro, em Paraisópolis e no dia 14 de outubro na comunidade Capão Redondo. Na comunidade Restinga, em Porto Alegre, será lançado no dia 20 de outubro. Em Fortaleza na comunidade Lagamar, no dia 21 de outubro. Na Cinelândia em Brasília e em Osmar Cabral, no Mato Grosso, o projeto será lançado no dia 24 de outubro.
 

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: