Centro de Atendimento a Mulher de Ceilândia será inaugurado em maio.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

“Anúncio foi feito, em entrevista, pela secretária que destacou também a construção da Casa da Mulher Brasileira no DF
Ao falar sobre os desafios de sua gestão à frente da Secretaria da Mulher, iniciada neste mês, a secretária Valesca Leão disse que tem como “meta importante” a abertura de mais três centros especializados de atendimento à mulher (Ceam)”
Um desses centros ficará em Ceilândia, a cidade com mais registros de violência contra a mulher no DF, e deverá ser inaugurado já no próximo mês de maio. Os outros dois funcionarão no Gama e em Samambaia e serão entregues no segundo semestre.

Com isso, o DF passará a desfrutar de seis centros especializados. Atualmente, a Secretaria da Mulher mantém três Ceam – um no SIA, um na estação do Metrô da 102 Sul e outro em Planaltina.

A secretária destacou ainda como um de seus desafios a construção da Casa da Mulher Brasileira no DF. A Casa é um projeto em parceria com o governo federal e vai reunir num só local todos os serviços de atendimento à mulher.

Valesca fez questão de ressaltar que o seu trabalho é uma continuidadade da gestão iniciada pela professora Olgamir Amancia, que se desincompatibilizou do cargo no dia 4 deste mês para disputar as eleições. Olgamir é a primeira secretária da Mulher da história do DF. Estava na Secretaria desde o início do governo Agnelo.

Formada em Sociologia pela UnB, com especialização em Educação, Valesca Leão é professora da rede pública de ensino. No currículo, tem passagens pela diretoria do Sindicato dos Professores da Rede Pública do DF (Sinpro-DF) e pela coordenadoria da Secretaria de Assuntos Educacionais da entidade. 

Desde a criação da Secretaria da Mulher, em 2011, Valesca vinha atuando como secretária-adjunta. Nesta entrevista, concedida à Assessoria de Comunicação (Ascom) da Secretaria, ela fala sobre os avanços conquistados pela pasta e lista os principais desafios de sua gestão, que termina em dezembro.

A seguir, leia a entrevista na íntegra.

Como será o trabalho nestes próximos meses?

A ideia é dar continuidade ao trabalho da professora Olgamir, que foram três anos e meio de muita construção. A proposta é efetivar aquilo que foi implementado, garantindo que seja uma política de Estado. E, tenho certeza, vamos concluir bem todo esse processo. Como meta importante, temos a entrega de mais três Ceam (Centro Especializado de Atendimento à Mulher) – um em Ceilândia, que deverá ser inaugurado já no próximo mês, um no Gama e outro em Samambaia. Esses dois últimos têm inauguração prevista para o segundo semestre.

Quais são os obstáculos enfrentados pela Secretaria da Mulher para executar suas políticas e ações?

O diferencial da pasta é incorporar a transversalidade do tema em todo o governo, inclusive por meio de parcerias como o governo federal, entidades e sociedade civil para ampliar a concepção de que as mulheres, quando fortalecidas em suas potencialidades e escolhas, constroem uma nação desenvolvida, sem miséria, sem discriminação, sem subalternidade e sem violência. Esta rede orgânica de articulação permite a qualidade do atendimento e reforça a estrutura dos equipamentos públicos. Firmar a Secretaria da Mulher no cenário da gestão democrática, pactuando o entendimento de que é necessário haver um recorte de gênero em todas as políticas públicas de Estado, também foi outro compromisso assumido com o Governo do Distrito Federal.

Quais são os avanços pontuais da Secretaria da Mulher desde a sua criação?

Como nós temos a missão de concretizar os direitos das mulheres e esses direitos derivam de políticas públicas em áreas como a saúde, a educação, a segurança e o trabalho, por exemplo, o nosso papel se situa no campo da proposição, do direcionamento e da articulação dessas políticas públicas em benefício das mulheres. As iniciativas da Secretaria têm levado muitas mulheres a procurarem o poder público. Consolidamos a política de abrigamento, por meio da ampliação da Casa Abrigo e qualificação da equipe multidisciplinar que atende às mulheres; inauguramos, neste governo, dois Centros Especializados de Atendimento à Mulher; implementamos, em parceria com o governo federal, o Ônibus da Mulher – para atendimento às mulheres rurais vítimas de violência; lançamos o Prospera Mulher, o I Plano Distrital de Políticas para as Mulheres e o Jogo da Mulher; criamos um programa de valorização e divulgação do trabalho artesanal das mulheres do DF – Rede Mulher Artesã; entre outras inúmeras ações.

Quais serão os principais desafios para este ano?

Um grande desafio que temos daqui pra frente é a construção e a implementação da Casa da Mulher Brasileira. Porque, além de ser um grande desafio de construção, trata-se também da efetivação de políticas públicas destinadas às mulheres do DF. Para além disso, temos o compromisso e a responsabilidade de manter a excelência de todos os serviços prestados às mulheres em todas as esferas, oferecendo o acolhimento e a humanização de que são dignas; bem como finalizar com sucesso a primeira gestão da Secretaria de Estado da Mulher do Distrito Federal.

Informações Secretaria de Estado da Mulher DF

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: