CLDF agiliza votações prioritárias

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Os deputados distritais resolveram optar por um “esforço concentrado” no dia de ontem (27) para votar os projetos prioritários do GDF e dos próprios parlamentares. O acordo de votação foi construído na reunião dos líderes partidários no começo da tarde, onde ficou acertado a votação de 16 projetos do Executivo e mais dois de autoria de cada parlamentar. 
Os principais projetos do governo aprovados foram: PL 1483/13, que autoriza a liquidação da Sociedade de Abastecimento de Brasília (SAB); PL 1500/13, que cria a Política de Atenção ao Jovem; PL 1475/13, que autoriza a participação de servidores em conselhos de representação; PL 1506/13, que cria a Colônia Agrícola Aguilhada, em São Sebastião; o PLDO2014 (PL 1494/13), com as diretrizes orçamentária para 2014. Até o fechamento desta edição, os distritais ainda apreciavam os projetos, sem que estivesse definido acordo para a aprovação da nova lei de licenciamento de atividades econômicas e o licenciamento de eventos no DF.

Férias garantidas
O presidente da CLDF, deputado Wasny de Roure (PT), propôs aos colegas que abrissem mão do chamado recesso de julho, as férias de 30 dias do meio de ano. Wasny pediu que os colegas se esforçassem para que a Casa pudesse avançar em uma pauta mais voltada ao social e concomitantemente desse respostas ao clamor popular das ruas. Contudo, o presidente foi voto vencido entre os parlamentares. Na reunião de líderes, Wasny foi o único a defender a medida. A deputa Eliana Pedrosa (PSD) e Joe Valle (PSB) defenderam parcialmente a sugestão, mas acabaram avaliando que a medida foi deixada para última hora. Assim, as férias de todos estão garantidas, da mesma forma que a proposta da presidência de manter o horário normal de funcionamento da Casa foi também rejeitada. Com isso, a CLDF trabalhará em julho só meio expediente. 
Sorte é para quem a tem
Muitos agentes de trânsito do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF) pressionaram literalmente a CLDF, ontem (27), para que os distritais aprovassem o projeto de carreira da categoria. Uma centena deles deram trabalho para a segurança da Casa, que mal conseguiam conter meia dúzia de baderneiros que promoviam um “empurra empurra” para entrarem na Câmara. Por segurança, não só da forte presença de diversas categorias, mas também em prevenção a onda de manifestações, o presidente Wasny decidiu cercar todo o prédio, pedindo até o recolhimento de pedras que estavam ao redor da Casa. Sorte é para quem a tem, e parece ser o caso da CLDF, pois, se os furiosos baderneiros que apedrejaram o Itamaraty aparecesse por lá, o prédio viria à baixo!
Por Tiago Monteiro Tavares / Jornal Alô Brasília / Foto: Roberval Eduão

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: