CLDF: Relator prefere antecipar voto.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


Membros da Mesa Diretora da Câmara Legislativa irritaram-se com a manobra do distrital Benedito Domingos (PP), ao renunciar a suplência da 3ª Secretaria. A decisão levou o deputado Israel Batista (PEN) a antecipar seu voto favorável envio dos processos contra três distritais — entre eles o próprio Benedito — à Corregedoria da Casa.

“Diante dos acontecimentos e da possibilidade de atrasos na decisão, preferi pressionar para que a Mesa tome posição o mais rápido, porque ela não julga mérito, só admissibilidade”, declarou Israel, que completa: “A antecipação do voto é direito meu”.

Pressa para todos

Segundo o deputado, como seu voto já foi protocolado, não há a necessidade de que ele seja lido, antes dos demais, porém ele espera que seu parecer seja o suficiente para que os demais membros da Mesa Diretora também se posicionem a favor da continuidade do processo.

“Como é tradição na Mesa, espero que todos os deputados votem pela abertura de processo”, estimula Batista, que é relator do caso de Rôney Nemer. “Sinto”, afirma, “que a minha missão foi cumprida e que não tenho nada a esconder”

Rôney Nemer foi informado do parecer pelo próprio Israel Batista, durante a sessão ordinária da Casa. O parecer favorável à abertura de processo contra ele não agradou.

Contrariado

“Não há como dizer que estou tranquilo com essas acusações levianas. Não há fatos novos e tudo já foi apurado e arquivado em 2010”, argumenta Nemer, que questiona: “Quer dizer que se, mais uma vez o caso for arquivado, e eu, no futuro, for novamente eleito, na legislatura que vem terei que enfrentar outro processo?”

Sobre a condenação, usada no novo pedido de abertura de processo na Casa, Rôney afirma que a Justiça ignorou depoimento de Durval Barbosa que o inocentava.

Saiba mais

Os deputados Aylton Gomes, Benedito Domingos e Rôney Nemer são acusados de quebra de decoro parlamentar e participação em esquema de desvio de dinheiro.Processos anteriores contra eles foram sobrestados e arquivados em 2010.

Condenações em primeira instâncias nos últimos meses provocaram novas ações com pedidos de cassação contra eles.

Wasny não aceita articulação

Após a decisão de renúncia do deputado Benedito Domingos, o presidente da Câmara Legislativa, Wasny de Roure (PT), enviou a Procuradoria-geral da Casa o caso do distrital para que ela opine sobre quais serão os próximos passos da Mesa Diretora.

Para Wasny, o parecer deverá estar pronto ainda hoje. Por isso, ele só se posicionará em relação à indicação de Cristianos Araújo (PTB), membro do mesmo bloco que Benedito, após saber o que a procuradoria tem a declarar sobre o caso.

A manobra de Benedito Domingos, com a conivência de Aylton Gomes (PR), indignou Wasny: “Tanto o deputado Benedito quanto Aylton estiveram na reunião da Mesa e em momento nenhum se posicionaram dessa forma. Se eles buscam respeito, nos também querem ser respeitados”.

O presidente diz não saber as reais intenções da manobra. “Para mim foi uma grande decepção, pois dei toda a oportunidade de dialogar e acabamos sendo surpreendidos”, desabafou.

Por Suzano Almeida do Jornal de Brasília 

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: