Com armas, seguranças do Metrô DF agem como tropa de elite nas estações

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Funcionários
da segurança do Metrô do Distrito Federal são suspeitos de agir
com violência contra passageiros. Eles estariam trabalhando como
policiais e usando armas dentro das estações, prática que não é
regulamentada. Um denunciante, que prefere não se identificar,
afirma que abordagens truculentas têm sido feitas em plataformas do
Metrô.

Basta
estar vestido com bermuda ou usando chinelo para que eles te julguem
como marginal. Quem olha um segurança do metrô acha que é um
agente do Bope (Batalhão de Operações Especiais) em operação.
Eles utilizam armas de fogo, spray de pimenta e arma de choque. 
Os
seguranças teriam passado a atuar também em áreas restritas, onde
não há câmeras de segurança que possam flagrar suas ações. Eles
teriam criado também uma nomenclatura própria, passando a se chamar
“Polícia Metroviária”, função que não é regulamentada. Uma
marca foi criada e é utilizada na sala e nas fardas utilizadas pelos
seguranças. 

De
acordo com a lei que rege a segurança em metrôs, os seguranças
devem contribuir com o trabalho da polícia, mas não podem usar
armas de fogo.
O
responsável por chefiar os seguranças do metrô no DF implantou o
sistema no qual os agentes são orientados a prender pessoas, numa
conduta que não condiz com o que é regulamentado para estes
profissionais. Uma gravação telefônica mostra ele orientando os
funcionários.
Os
senhores não são meros seguranças. Os senhores são agentes de
policiamento. 
Ele
aparece em fotos postadas no Facebook segurando armas em estações
do Metrô. 
Um
depoimento dado à TV Record Brasília mostra um homem que
conta sobre supostos abusos cometidos pelos seguranças do metrô.

pessoas que saíram ensanguentadas. Existem registros em delegacias,
até. A atuação é voltada só para a truculência. 
Uma
ocorrência policial mostra um registro de um homem que teria sido
agredido por seguranças do Metrô. Ele estava com drogas e se negou
a ser preso pelos agentes. 
Em
outro trecho da gravação, o chefe dos seguranças fala sobre uma
possível conduta policial nas áreas do Metrô.
As
coisas vão mudar. Não adianta os ratos tentarem nadar contra a
maré. Vamos transformar o policiamento metroviário num norte para
todo o Brasil. 
Em
nota, a administração do Metrô-DF informa que vai apurar as
denúncias contra os agentes de segurança do Metrô e tomar as
providências cabíveis.
Record Brasília

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: