Condenado pelo STF, Dirceu diz que a ‘vida continua‘, defende PT e alfineta imprensa.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Condenado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) a dez anos e dez meses de prisão por corrupção ativa e formação de quadrilha, o ex-ministro da Casa Civil no governo Lula José Dirceu disse na noite desta terça-feira (5) que “a vida continua” e é momento do PT se unir para defender o legado do partido e dialogar com o povo brasileiro “a verdade do partido”.

Dirceu deu palestra na CLDF (Câmara Legislativa do Distrito Federal), em Brasília, para discutir o legado do governo Lula e se defender do mensalão. Esta é a terceira palestra de uma série prevista para o Brasil todo. Durante a fala, o ex-ministro aproveitou para cutucar a imprensa brasileira.
— É preciso levar a palavra ao povo brasileiro, nós não podemos permitir que a nossa palavra seja cerceada por aqueles que detêm o monopólio dos meios de comunicação. Muito menos aqueles que usurpam o direito de falar em nome do povo brasileiro. Quem fala em nome do povo é o Congresso Nacional, é a presidente da República, que foram eleitos pela soberania popular.
Dirceu foi recebido por petistas e vários integrantes da CUT (Central Única dos Trabalhadores) aos gritos de “Dirceu, guerreiro do povo brasileiro”. Foi aplaudido durante toda a palestra pela juventude petista que lotou o auditório e disse ter “orgulho” dele.
O ex-ministro petista disse que o PT foi construído na democracia e que é preciso união porque os próximos anos, que serão “duros”. Segundo ele, a oposição está “radicalizando a luta política” e usou o mensalão, em ano eleitoral, para manchar a imagem do PT e não só dos “companheiros denunciados”.
— É evidente que o julgamento da ação penal 470 [processo do mensalão] em ano eleitoral, a marcação do julgamento nosso às vesperas do primeiro e segundo turno, o caráter que ganhou esse julgamento não tinha objetivo de fazer justiça, mas de retomar a tentativa de 2005 de desconstruir e inviabilizar o PT e nossos governos.
De acordo com Dirceu, a manobra contra o partido ficou “explícita” quando alguns ministros do Supremo pronunciaram seus votos.
— Não se trata da questão de uma ou outra liderança do PT que foi denunciada, depois foi feita réu e ainda condenada, ainda que felizmente muitas lideranças foram absolvidas. Não se trata da denúncia do chamado mensalão, se trata da tentativa de colocar no banco dos réus o PT e o governo Lula.
Mensalão no DF
Em janeiro, integrantes do PT no Distrito Federal fizeram um jantar para arrecadar dinheiro e pagar as multas dos mensaleiros condenados pelo Supremo. A estimativa é que o PT tenha arrecadado, pelo menos, R$ 15 mil.
Os ingressos foram vendidos por R$ 100, R$ 200, R$ 500 e R$ 1.000. Cerca de 70 pessoas foram à Galeteria Gaúcha, restaurante localizado em um dos barros nobres da cidade. Não havia nenhum nome de expressão na sigla.
Um dos nomes fortes do PT no DF, o deputado distrital Chico Vigilante defendeu Dirceu logo no início da palestra e disse que os petistas no DF acreditam na inocência do ex-ministro e que não aceitam ver “o tucanos canalhas” chamando o partido de quadrilha.
O presidente da CLDF, Wasny de Roure (PT), também defendeu Dirceu e disse que o Brasil vive um “cenário de discriminação e injustiça” e que o Judiciário trabalhou com “a falta de reconhecimento que as provas têm que exercer em um processo penal”. 
(R7)

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: