Conselho da UnB põe vestibular do câmpus de Ceilândia em xeque

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Do Correio Web.


Centenas de estudantes de Ceilândia ocupam há 11 dias a reitoria, na Asa Norte, para que os prédios do câmpus sejam concluídos (Dênio Simões/Esp. CB/D.A Press - 21/9/11)
Centenas de estudantes de Ceilândia ocupam há 11 dias a reitoria, na Asa Norte, para que os prédios do câmpus sejam concluídos

O
próximo vestibular para preencher as vagas do câmpus de Ceilândia pode
ser suspenso, caso a maioria dos professores, alunos e servidores da
Universidade de Brasília (UnB) optem por essa decisão. O assunto deve
ser colocado em pauta hoje, às 14h30, durante a reunião do Conselho
Universitário (Consuni), órgão máximo da universidade. Apesar de não
constar na ata oficial, o tema deve ser debatido em caráter de urgência.
Isso porque os alunos de Ceilândia ocupam a reitoria, na Asa Norte, há
11 dias, e os professores estão de braços cruzados. Eles exigem a
suspensão do exame até a entrega as instalações da faculdade.

Enquanto
alunos e professores tentam impedir a entrada de 260 novos estudantes
nas instalações provisórias no Centro de Ensino Médio nº 4 (CEM 4) de
Ceilândia, a reitoria da UnB articula para que o vestibular e o Programa
de Avaliação Seriada (PAS) não sejam interrompidos. Ontem à noite, o
reitor, José Geraldo Pereira, reuniu-se com alguns integrantes do
Consuni para discutir a situação.

De acordo com o decano de
Assuntos Comunitários, Eduardo Raupp, a posição da reitoria é a de que o
processo seletivo ocorra normalmente e que a universidade tente
terminar o prédio até o começo das aulas, em 1º de março do ano que vem.
Caso as obras não sejam concluídas, a Universidade de Brasília estuda
adiar o início do semestre letivo. “A UnB tem um compromisso legal com a
sociedade e deve cumprir com ele”, avisou o decano.

Apesar do
apoio da Associação dos Docentes da UnB (Adunb), os estudantes não têm
esperanças de que conseguirão impedir a nova seleção. “Queremos, ao
menos, ser ouvidos”, diz a líder da ocupação da reitoria, a estudante
Jéssica Rosa. Os estudantes alegam que o CEM 4 está superlotado e sem
condições de receber novos universitários. Atualmente, quase 1,5 mil
alunos estudam nos cinco cursos de graduação e nos dois de pós-graduação
oferecidos pela instituição.

As salas para 40 pessoas estão com média de
60 e as primeiras turmas vão se formar nas estruturas provisórias. A
entrega do prédio da Faculdade de Ceilândia foi adiada por 11 vezes pela
construtora Uniengenharia. Há três anos, alunos, professores e
servidores aguardam pelas novas instalações (leia Memória). Por conta do
atraso nas obras, um curso de fonoaudiologia, já aprovado, não sai do
papel e vários equipamentos de laboratório estão encaixotados. “Na
primeira chuva que der, os equipamentos empilhados no corredor vão
estragar”, alerta o presidente da Adunb, Ebenezer Nogueira.

Obras

Hoje,
a diretora do câmpus de Ceilândia, Diana Pinho, deve apresentar o
documento elaborado por professores e alunos aos 90 membros do Consuni e
eles votarão se acatam a suspensão. O Diretório Central dos Estudantes
(DCE) da UnB tem direito a oito votos e, apesar de ser contra a
interrupção do vestibular, votará a favor da decisão dos alunos de
Ceilândia, aprovada em assembleia. “Preferimos o adiamento do calendário
acadêmico, mas como a maioria quer que o vestibular não ocorra, vamos
apoiá-la”, explicou o coordenador-geral do DCE, Jonatas Moretti.

Ebenezer
Nogueira, da Adunb, também acredita que não passará a proposta de
adiamento do processo seletivo para o câmpus de Ceilândia. “Pelo menos
vamos fazer pressão para a melhoria na infraestrutura”, ressalta. Para
garantir os votos a favor do vestibular e do PAS, a UnB promete entregar
pelo menos o prédio dos laboratórios. A Secretaria de Obras do DF
informou ontem que o contrato com a Uniengenharia foi rescindido. A
decisão deve ser publicada no Diário Oficial do DF na próxima
segunda-feira. Agora, a UnB vai desembolsar R$ 2 milhões para concluir o
primeiro prédio e o GDF promete entregar o segundo antes do início do
semestre letivo.

Colaborou Manoela Alcântara


Calendário

A
previsão é de que as provas do vestibular sejam realizadas em 10 e 11
de dezembro. São 1.737 vagas no câmpus Darcy Ribeiro (Plano Piloto), 130
em Ceilândia, 140 no Gama e 85 em Planaltina.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: