Crescimento desordenado do condomínio Sol Nascente

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


Pôr do Sol e Sol Nascente, juntas, as duas ocupações possuem aproximadamente 78,9 mil moradores e têm o pior indicador de infraestrutura

Pôr do Sol e Sol Nascente, juntas, as duas ocupações possuem aproximadamente 78,9 mil moradores e têm o pior indicador de infraestrutura

Em 19 de outubro de 2000, foi assinada a Lei Complementar 330, para criar o núcleo habitacional Parque Sol Nascente. Em 2013, a cidade completou 13 anos de existência.



O condomínio obteve um crescimento desordenado avançado, através de invasões de grilagem de terra.



Pôr do Sol e Sol Nascente, juntas, as duas ocupações possuem aproximadamente 78,9 mil moradores. O número aponta o crescimento da população na região – que não conta com sistema de saneamento básico, entre outros problemas de infraestrutura.



A Codeplan fez um levantamento mostrando que as duas localidades detêm os piores indicadores de infraestrutura de toda a capital. Apenas 6,1% das residências são ligadas à rede de esgoto. Os caminhões de lixo não atendem 54,15% dos domicílios, e 94% das ruas não são pavimentadas. A população supera muito a de outros bairros populares. A Estrutural, por exemplo, tem 30 mil habitantes.



Reclamações de moradores
Os moradores da Quadra 501 do Sol Nascente denunciam o descaso da Caesb, eles alegam que várias casas entregues recentemente pela Codhab estão com seu sistema de esgoto sem condições de uso, algumas residências já estão com suas caixas de esgoto estouradas correndo a céu aberto e um mal-cheiro horrível. Os imóveis são novos e cheios de problemas, a prefeitura comunitária Sol Nascente já pediu providências para o caso.


Cleunice Rodrigues, moradora há três anos do condomínio Sol Nascente, reclama da grande poeira no local e diz que no período de chuva, sem asfalto, as ruas ficam alagadas piorando as condições dos moradores. “Nós temos que ir sempre ao hospital por conta dessa grande poeira que não cessa. Todos os dias jogo água na minha garagem e toda área na frente de casa para tentar amenizar a situação” desabafa Cleunice.



Moradores afirmam que a Agência de Fiscalização (Agefis) esteve no local há alguns meses atrás e ameaçou multar os moradores que jogam água na rua. De acordo com a superintendente de fiscalização de limpeza pública urbana, Cláudia Pereira, as multas são efetuadas no caso do morador jogar à céu aberto, somente água com resíduos, porque são prejudiciais à saúde e ao meio ambiente, podendo chegar até R$ 1,4 mil. “Multas são efetuadas quanto ao despejo de água servida e fossas sem manutenção. As vistorias na região foram suspensas e não têm previsão para serem retomadas”, explica Cláudia.



José Valmir dos Santos, vice-prefeito comunitário e presidente do movimento habitacional da região, falou que pelo fato do Sol Nascente ainda não ser totalmente regularizado, existe muita burocracia. Segundo José, há muito a ser feito, não tem órgãos no local o que dificulta a vida do morador. “O nosso sonho é a melhoria em todos os sentidos, escolas, infraestrutura, saúde dentre outras e sabemos que é possível”, declara o vice-prefeito.



Moradora Cláudia Pereira reclama da poeira e diz que joga água em frente sua casa para amenizar a sujeira

Moradora Cláudia Pereira reclama da poeira e diz que joga água em frente sua casa para amenizar a sujeira

De acordo com a administração de Ceilândia, além do que foi feito, existe um plano urbanístico, ao qual se destina melhorias e construções em diversas partes do Sol Nascente. “Estamos planejando a construção de creches, postos de saúde, escolas, vias que serão asfaltadas, canalização do esgoto residencial nas áreas onde as famílias ainda possuem fossa, e diversos equipamentos públicos, como praças e quadras poliesportivas”, atesta.



A Secretaria de Obras já mapeou todas as ruas e avenidas, e apresentou, em 2012, um projeto para asfaltar todas as vias e instalar blocos de concreto em diversos pontos. Antes da pavimentação será feita toda a rede de drenagem pluvial. A Novacap já está licitando as obras de drenagem de águas pluviais e asfaltamento em todo o setor. O serviço está previsto para começar ainda no primeiro semestre de 2014. “O Sol Nascente é a cidade mais nova de Brasília e o desenvolvimento urbanístico já está acontecendo, o que é necessário é a compreensão dos moradores e a colaboração como colocar o lixo no local adequado, denunciar novas invasões dentre outras”, conclui.



Serviços já realizados no local

• A implantação de rede de iluminação pública em todo o Sol Nascente.


• Canalização de água potável em todo Sol Nascente.

• Esgoto residencial já começou no trecho 1 – está em implantação, com 30% já concluído.
• Mais de 20 km de via já foram asfaltadas.
• Mais de 100 km de ruas foram recuperadas para manter as condições de trafegabilidade.
• Implantação de novas linhas de ônibus.
• Instalação de diversos abrigos para passageiros (paradas de ônibus).
• Implantação de postos policiais.
• Instação de PEC (kit academia).
• Recuperação e controle de todas as áreas de erosão que existem na região.
• Instalação de equipes do programa Saúde da Família.
• Início da construção do complexo de saúde que irá beneficiar todos os moradores.

Informou o Jornal da Comunidade

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: