De folga desde sábado, deputados se encontram hoje com governador do DF.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O governador Agnelo Queiroz (PT) chamou a base governista da Câmara Legislativa do DF ao Buriti durante o feriado. Maioria dos distritais ficou na cidade durante a longa folga na Casa. Parlamentares garantem volta normal ao trabalho na quinta-feira (3), com audiências públicas e reuniões nas comissões.

Os deputados Dr. Michel (PSL), Evandro Garla (PRB), Eliana Pedrosa (PSD), Cláudio Abrantes (PPS) e Professor Israel (PDT) ficaram em Brasília e trabalharam ontem (31), feriado na CLDF. Os parlamentares tiveram agendas diversas, desde reuniões com grupos comunitários até despachos internos. Os gabinetes de Celina Leão (PSD) e Israel funcionaram normalmente nesta segunda-feira.
Michel esteve em um programa de televisão defendendo a greve da Polícia Civil do DF. Cláudio Abrantes e Wellington Luiz (PPL) estiveram em reuniões procurando soluções para a situação da instituição, que está em uma queda de braço com o GDF há mais de 30 dias.
Chico Vigilante, líder do bloco PT-PRB, não viajou no feriado e disse que acha desnecessário uma ausência tão longa dos parlamentares. “A Câmara poderia ter feito como no governo federal, passar o Dia do Servidor para 14 de novembro, para emendar com o dia 15”, afirmou. Vigilante disse que existem muitos projetos esperando para serem votados. “Eu estarei no plenário na quinta-feira para votar”.
Vigilante lembra que as leis orçamentárias estão na pauta do semestre e precisam ser aprovadas, senão os deputados não podem sair para o recesso de fim de ano. Além do Orçamento, o projeto da Gestão Democrática nas escolas também é uma prioridade, porque existe uma decisão judicial que obriga as instituições públicas de ensino do DF a terem eleição ainda em 2011.

Encontro – Todos os deputados da base aliada que estiverem na cidade deverão ir ao Buriti hoje. O governador os convocou para tratar, segundo Chico Vigilante, de assuntos de interesse da população. “Vamos conversar sobre projetos e soluções”, afirmou o parlamentar. Alguns distritais da base não confirmaram presença porque não haviam sido chamados ainda.

Na próxima quinta-feira (3), haverá uma audiência pública para tratar da situação do Parque Olhos D’Água. A iniciativa é do deputado Raad Massouh (DEM). Pela manhã, está prevista reunião da Comissão de Economia, Orçamento, Gestão e Finanças, com convocação confirmada por Cláudio Abrantes e Benedito Domingos.

Oposição – As três distritais do PSD não viajaram. Eliana Pedrosa esteve reunida com moradores da Vila Planalto durante o fim de semana e retornou ao local para visitar algumas escolas. Eliana passará a terça-feira em reuniões.
Celina Leão abriu o gabinete ontem, com todos os seus funcionários trabalhando. A deputada manterá agenda normal hoje e na quinta. Liliane Roriz passará o feriado acompanhando o pai, o ex-governador Joaquim Roriz, em sessões de hemodiálise.
 

Stand By no feriadão
A reunião marcada de última hora no Buriti não é novidade. Tanto não é novidade que, apesar do feriadão dado pela Mesa Diretora, poucos se arriscaram a sair de Brasília. Ficaram em “Stand By”, prontos para qualquer chamado. Encontros como este estão se tornando rotina, resultado do péssimo relacionamento entre o governo e alguns deputados da base. A versão oficial é que a reunião é positiva, para discutir novos projetos para o DF. Mas é provável que, além disso, os distritais reclamem o de sempre (cargos, agenda etc.) e o governador cobre mais apoio, principalmente porque o ritmo na CLDF está aquém do esperado pelo governo. Desde o início do ano que alguns parlamentares da base, que não são do PT, pediam audiências com Agnelo, queriam ser recebidos, prestigiados e reconhecidos. Bom, este item pode ser riscado da lista de reivindicações. (Lorena Pacheco)
PDOT mais longe do plenário
Outro projeto de lei que é prioridade na Casa é o Plano Diretor de Ordenamento Territorial – o PDOT. O presidente da CLDF, deputado Patrício, já havia dito anteriormente que o PDOT deveria ser aprovado no segundo semestre de 2011, o que fica cada vez mais difícil. A chamada “nova proposta” do PDOT, que nada mais é do que a correção das inconstitucionalidades do projeto anterior, já entrou e saiu da CLDF mais de três vezes. Todas a pedido da Secretaria de Habitação. Chico Vigilante não acredita que o projeto passe em 2011. “Não tem clima nem discussão acumulada para uma votação”, disse.
Lorena Pacheco para o Jornal Alô

Deixe uma resposta

Posts Relacionados

%d blogueiros gostam disto: