Delegação italiana visita banco de leite humano do Hospital Regional de Ceilândia

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
O Banco de Leite Humano (BLH) do
Hospital Regional de Ceilândia (HRC) recebeu, nesta quarta-feira (13), a visita
de uma delegação italiana do Programa Mundial de Alimentos (PMA/OMS). Os
representantes vieram conhecer o serviço que é Padrão Ouro pelo Programa
Internacional Ibero-Americano de Bancos de Leite Humano.

A visita foi guiada pela
coordenadora dos bancos de leite do DF, Miriam Santos. A delegação assistiu a
um vídeo apresentando o trabalho dos bancos na rede pública de saúde da capital
federal e depois seguiu para conhecer o processo de pasteurização do leite.

“Sempre ouvimos falar
muito bem do trabalho desenvolvido pelo Brasil e, em especial, por Brasília, na
questão da doação de leite materno e viemos conhecer. E vimos que realmente é
tudo aquilo que falam lá fora”, disse a representante do PMA de Roma, Lauren
Landis.

Ela disse que a visita serviu
para pegar as boas práticas adotadas aqui e levar como ideia aos 78 países onde
o PMA tem representação. “Uma das coisas que achamos mais interessantes
foi o fato de o Corpo de Bombeiros ser parceira e fazer a coleta do leite em
toda a cidade”, frisou Landis. Segundo Miriam Santos, atualmente 22
servidores do Corpo de Bombeiros fazem esse trabalho.

CEILÂNDIA – O Banco de Leite Humano do HRC é um dos mais
antigos de Brasília, foi criado há cerca de 30 anos. Hoje, a unidade conta com
69 doadoras, todas moradoras de Ceilândia. “Em março, fizemos a coleta de
122 litros de leite, sendo 14,8 litros dentro do banco e 107,2 em
domicílio”, conta a coordenadora do banco, Débora Keila.

Segundo Mirian Santos, a
escolha do banco de Ceilândia para a visita desta quarta-feira não teve motivo
especial. “Já recebemos outras delegações e os levamos para outros BLHs,
como o do Hospital Regional de Taguatinga, em Planaltina, Sobradinho e HMIB.
Isso mostra que trabalhamos em rede e que o serviço é muito parecido em todas
as unidades”, destaca.

Além de receber as doações de
leite, o banco serve como orientador às mães que amamentam. Em março deste ano,
foram feitos 347 atendimentos no BLH de Ceilândia. “Diariamente também
fazemos visitas na enfermaria, para orientar as mães que acabaram de ganhar
bebê. Foram 1.372 atendimentos em março”, conta Débora Keila.

A unidade conta com
pediatra, ginecologista, nutricionista e faz atendimento ambulatorial às mães
que doam. “E temos um encontro, uma vez por mês, para as novas doadoras,
onde falamos sobre amamentação, sobre a importância do leite, mostramos como
funciona o processo desde que o leite cru chega até quando vão para os bebês.
Também as levamos para ver os bebês na UTI Neonatal”, diz a coordenadora
do Banco de Leite de Ceilândia.

*Informações Agência Brasília

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: