Deputado Chiquinho Escórcio favorável à revisão do Exame de Ordem da OAB..

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Durante audiência pública na Câmara dos Deputados, Francisco Escórcio sugere alterações no Exame da OAB e afirma que avaliação atual prejudica os candidatos
             Durante audiência pública na Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados acerca da obrigatoriedade do Exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o deputado federal Francisco Escórcio (PMDB-MA) defendeu a revisão dos critérios utilizados na avaliação dos recém-graduados em Direito e a legitimidade da OAB para aplicar as provas que habilitam seus candidatos a exercerem a advocacia.
            “Não sou contra o exame, mas contra a forma como ele é aplicado atualmente. O principal deles é a realização do exame somente depois de o candidato ter sido diplomado”, argumentou o deputado. Segundo o parlamentar, o diploma dá ao graduado o direito de exercer sua profissão, assim como em outras carreiras. “Esse impedimento, por meio do exame, é ilegal na minha visão”, disse.
Francisco Escórcio defende a realização do exame para avaliar os candidatos no decorrer do curso. “Avalio, ainda, se a OAB não estaria querendo substituir a função do Ministério da Educação em fiscalizar os cursos de graduação, quando, na verdade, poderia pensar em convênio com o próprio Ministério para fazer a prova”, ressaltou. O deputado também criticou a terceirização das provas, feitas por institutos de concursos públicos, o que, na opinião dele, não guardaria da melhor forma o sigilo das provas a serem aplicadas.
O deputado maranhense aproveitou a discussão para lembrar que atualmente o Exame da OAB suscita discriminação entre os candidatos. “Vivemos numa verdadeira indústria do cursinho, onde o rico pode pagar e o pobre, não”, salientou Escórcio. O parlamentar lembrou ainda que as edições da avaliação da OAB tem causado um sentimento de pavor, o que abala psicologicamente o candidato. “Após diplomado, que poderia fazer essa escolha entre o melhor profissional seria o mercado e não uma prova com critérios subjetivos”, destacou.
O debate, bastante polêmico, terminou com a garantia, por parte da OAB, de que todas as sugestões apresentadas durante a audiência pública serão analisadas pela instituição.
Assessoria de Imprensa Deputado Francisco Escórcio

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: