Deputado Professor Israel cobra obras da secretaria .

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

O contrato com a construtora do câmpus da UnB Ceilândia será desfeito. A outra sede da universidade, com dois prédios e um auditório, será entregue antes do início do próximo ano letivo. Foi o que afirmou o secretário de Obras, Oto Silvério Guimarães, que esteve na Câmara Legislativa, nesta segunda-feira (5), para debater as prioridades em sua gestão.

O deputado professor Israel questionou a demora e os sucessivos adiamentos na entrega das obras da UnB. “Realmente a Uniengenharia – a empreiteira  – não concluirá as obras da UnB Ceilândia. É preciso dar respostas aos estudantes, que estão prejudicados com os constantes atrasos”,  argumentou o deputado.  Oto também afirmou que visitará o câmpus da UnB Ceilândia, e fará reunião com representantes da universidade para avaliar a melhor solução para a questão.

Outra questão levantada pelo deputado Professor Israel é a reforma das 36 pistas de skate no DF e a construção do Skate Parque, no Parque da Cidade.  “Os espaços têm problemas na construção, foram feitas sem apoio técnico. O segundo esporte mais praticado no país, perdendo para o futebol, precisa de apoio para o desenvolvimento”, apontou Israel.

Entre os compromissos assumidos pelo secretário, durante a reunião, está o planejamento para revitalizar e construir novas pistas de Skate em todo o DF. “Já foi feita uma emenda parlamentar para investimento ao esporte e revitalização das pistas. Mas isso precisa ser feito com a consultoria da federação de skate de Brasília”, alertou o deputado. “Essas obras são muito importante para a secretaria, vou pedir um diagnóstico aos técnicos da secretaria para melhor investir os recursos para resolver o problema”, afirmou o secretário Oto. 
Educação 
Melhorias para escolas públicas do DF também foi debatida durante a reunião. Um dos pontos foi a construção das coberturas da quadras poliesportivas de escolas públicas. A licitação para a cobertura de 55 quadras já foi realizada, mas não foram executadas. “Encontramos alguns problemas, que é preciso superá-los antes de concluir as obras. Um deles é o endereço incorreto das escolas, alguns endereços são de unidades que não serão contempladas”, afirmou Oto. De acordo com o secretario, é melhor resolver essas questões a começar todo o processo novamente. “O problema será resolvido, são mais de 140 escolas já com licitação feita, as reformas começarão logo”, apontou.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: