Deputados pedem investigação sobre perfis falsos para atacar adversários do GDF.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
A reportagem publicada pela revista Veja nesta semana com a denúncia de que uma empresa de publicidade que trabalha para o governo do DF teria contratado pessoas para fraudarem perfis na internet, para elogiarem o governador e difamarem adversários, repercutiu na sessão ordinária da Câmara Legislativa desta terça-feira (20). A deputada Celina Leão (PSD) cobrou investigações por parte da Casa e um posicionamento da Mesa Diretora sobre os deputados que foram difamados pelo grupo apontado pela reportagem. Ela chegou a defender a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a denúncia.

Celina Leão lembrou que trouxe o caso à tribuna da Câmara em fevereiro do ano passado, quando foi vítima de perfis falsos nas redes sociais. Segundo ela, apesar de ter cobrado explicações e investigações, nada aconteceu até o momento. “Cobramos providência porque havia indícios de que era uma ação orquestrada, uma ação criminosa praticada por pessoas ligadas ao GDF e com uso de dinheiro público. Isso é um absurdo”, condenou a distrital.
A deputada quer que as pessoas citadas na reportagem sejam convocadas para prestar esclarecimentos na Casa e pediu que a Mesa Diretora se manifeste. O presidente da Câmara Legislativa, deputado Wasny de Roure (PT), solicitou à deputada mais informações sobre o caso e disse que a Mesa vai analisar e dar os desdobramentos devidos.
De acordo com Celina, o esquema de perfis falsos atacou pelo menos quatro deputados distritais, os senadores Cristovam Buarque e Rodrigo Rollemberg, além de outras pessoas que criticaram o governo.
A deputada Eliana Pedrosa (PSD) ressaltou que os ataques feitos pelos perfis falsos foram muito além das questões políticas, “o que já seria inaceitável”. “Atacaram nossa honra, nossas vidas pessoais e nossas famílias. Já estou na Justiça contra esse grupo, mas estou encontrando muitas dificuldades, já que a empresa de telefonia se recusa a identificar o endereço IP do computador utilizado”, reclamou.
Para Eliana, as redes sociais terão grande importância nas próximas eleições e os abusos devem ser coibidos o mais rapidamente possível. “A Câmara não pode ficar omissa”, afirmou. O deputado Olair Francisco (PTdoB) concordou: “Não é admissível que a internet seja usada para difamar as pessoas”.
Mecanismos – A deputada Arlete Sampaio (PT), líder do governo, defendeu a criação de mecanismos para coibir o mau uso das redes sociais. Ela disse já ter sido vítima de uma campanha de difamação promovida por perfis falsos criados por empresas contrariadas com licitação realizada no período em que ocupou a Secretaria de Desenvolvimento Social do GDF. “A internet pode ser usada para o bem e para o mal. E esse mau uso está presente no campo político e deve ser condenado”, defendeu.
Ascomom CLDF

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: