Desemprego é maior entre trabalhadores sem diploma

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


A crise no mercado de trabalho atinge de forma desigual diferentes
grupos sociais e regiões do país. Segundo pesquisa realizada pelo Instituto
Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o índice de desemprego
no Brasil é de 11,8%, mas a taxa é maior para mulheres, jovens e pessoas com
baixa escolaridade.
Os dados do
IBGE mostram que os mais afetados são aqueles que têm ensino médio
incompleto. Para esse grupo, a taxa é de 20%, contra 6,2% para os profissionais
com curso superior. E o estado onde o desemprego foi mais alto no fim de 2017 é
o Amapá, seguido de Pernambuco e Alagoas. Já Santa Catarina, Mato Grosso e Mato
Grosso do Sul tiveram as menores taxas.
Os candidatos
a uma vaga, independente do grau de escolaridade, precisam estar conscientes da
importância de investir em educação. Quanto mais
estudo, mais oportunidades no mercado de trabalho. Uma pesquisa da Fundação
Getúlio Vargas (FGV) concluiu que uma pessoa pós-graduada tem 422% a mais de
chances de conseguir um emprego do que quem não se alfabetizou.
Esse impacto
é perceptível em todos os níveis de escolaridade. A pesquisa também aponta uma
tendência futura de que as condições de trabalho para quem possui bom nível
educacional fiquem mais apertadas e competitivas, especialmente quando se trata
de cargos de maior remuneração, o que alerta ainda mais para a importância dos
estudos e de constante atualização.
Segundo a
psicóloga e consultora de Recursos Humanos da Luandre RH Monica Roncolato,
quanto mais exigente o mercado de trabalho, maior a necessidade dos
desempregados buscarem aprimoramento. “Sempre haverá vagas para perfis
diversos, porém a tendência natural é o desenvolvimento. E o aumento da
tecnologia pede que as pessoas acompanhem essa evolução para que não fiquem
fora do mercado”, explica Monica.
A consultora
também explicou que nem todas as vagas de emprego têm o Ensino Médio como
requisito. “Independentemente da formação acadêmica, existem fatores
comportamentais que fazem toda a diferença em uma entrevista de emprego. Entre
eles, postura, comunicação, educação e interesse na oportunidade oferecida. A
postura apresentada pelo profissional no momento da entrevista pode ser o fato
mais importante para a escolha do melhor candidato”, conclui Monica.
Quanto maior
o nível de escolaridade, maiores serão as chances de conseguir um emprego e de
competir por melhores oportunidades no mercado. Se você faz parte do grupo de
pessoas que possuem o ensino médio incompleto e tem o desejo de voltar a
estudar, o Educa Mais Brasil pode te ajudar. O programa educacional oferece até
50% de desconto para o EJA – Educação para Jovens e Adultos.
O programa também oferta bolsas para cursos de graduação e pós-graduação. Você
só precisa acessar o site do Educa Mais,
selecionar a modalidade desejada e fazer sua inscrição. Não perca tempo!
Fonte:
Bárbara Maria – Ascom Educa Mais Brasil

Veja mais:

LEIA TAMBÉM -   Inscrições em 169 mil vagas do Prouni começam hoje (11)

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: