DF: 18 homicídios em seis dias

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


Crimes violentos marcam o início do ano no Distrito Federal, que tem a média de um assassinato a cada 8h. Latrocínios (roubos com morte) também assustam a capital. Planaltina e Ceilândia concentram os casos mais graves.


Planaltina lidera o ranking das cidades mais violentas no começo de 2014. A região administrativa de 230 mil habitantes contabilizou quatro homicídios, sete tentativas de assassinato, um latrocínio e uma tentativa de roubo com morte nos seis primeiros dias de 2014.


Em segundo lugar, aparece Ceilândia, com dois homicídios e 10 feridos. No Distrito Federal, 20 pessoas foram atacadas a facadas, com disparos de armas de fogo ou por outro crime violento que levou à morte. Os casos ocorreram até a última segunda-feira. A Secretaria de Segurança Pública justifica a violência por meio do envolvimento das vítimas com o tráfico de drogas ou outros delitos.

Os dados da pasta revelam ainda que, nos seis primeiros dias do ano, uma pessoa foi assassinada a cada 8h na capital. Os 18 homicídios ocorreram em 10 regiões administrativas (veja mapa). O número é maior quando somados os dois latrocínios registrados também em 2014. Em um deles, um militar da reserva morreu após ser baleado na cabeça quando chegava em casa, na 112 Sul. Ontem, três suspeitos do crime foram  detidos. (leia mais na página ao lado). O DF registrou ainda 39 tentativas de latrocínio e de homicídio na primeira semana. …

Se a violência for mantida, 2014 vai acabar com mais de 1 mil pessoas assassinadas. Em janeiro de 2013, segundo a Secretaria de Segurança Pública, o Distrito Federal contabilizou 49 homicídios e 86 tentativas. No ano anterior, os números do primeiro mês ficaram em 48 e 104, respectivamente. No ano passado, os latrocínios contabilizaram quatro casos e as tentativas chegaram a 16. Em 2012, no mesmo período, foram seis roubos com morte e 25 tentativas.

Ações
O secretário adjunto de Segurança Pública, coronel Roberto Oliveira, defende que a média diária de homicídios é a mesma dos últimos anos, mas reconhece que os índices registrados são altos. O oficial afirma que, em quase 90% dos casos, quem morreu ou ficou ferido tinha algum tipo de vínculo criminoso. “Os números não estão evoluindo, estão mantendo a média. Percebemos que, desde o fim do ano passado, as vítimas de homicídio estavam relacionadas a outros crimes”, diz.

Oliveira nega que, ao vincular os assassinatos ao tráfico, o comércio das drogas esteja em alta no DF. “Pelo contrário. Tivemos apreensão recorde de drogas no ano passado. Foram quase 3 toneladas apreendidas. Quando se faz repressão ao tráfico, a droga sai do mercado e, então, começa uma disputa interna. Por isso, faremos um trabalho de inteligência para dar uma pausa nisso”, garante o secretário.

Segundo o secretário adjunto, ações integradas devem ser desencadeadas na capital nos próximos dias. “Serão realizadas operações em vários pontos do DF e cumpriremos mandados de prisão e de apreensão. A preocupação com os homicídios é grande, e vamos trabalhar forte para diminuir a incidência”, afirma. A Administração Regional de Planaltina informou que reuniões com a polícia são feitas periodicamente com o objetivo de traçar estratégias para melhorar a segurança da cidade.

Ecstasy
Em agosto do ano passado, a Coordenação de Repressão às Drogas(Cord) impediu, em apenas uma ação, a entrada no DF de 2.663 comprimidos vindos do Paraguai. A pílulas seriam comercializadas em Taguatinga, em Águas Claras e no Guará. Nos primeiros oito meses do ano, a Polícia Civil recolheu 5.950 comprimidos da droga.

Balanço

Homicídios
1º de janeiro      4
2 de janeiro      5
3 de janeiro      1
4 de janeiro      2
5 de janeiro      2
6 de janeiro      4
Total    18

Tentativa de homicídio
1º de janeiro      8
2 de janeiro      5
3 de janeiro      4
4 de janeiro      3
5 de janeiro      6
6 de janeiro      3
7 de janeiro      4
Total     33

Latrocínio
1º de janeiro      1
3 de janeiro      1
Total    2

Tentativa de latrocínio
1º de janeiro      2
4 de janeiro      1
5 de janeiro      1
6 de janeiro      2
Total    6

“Serão realizadas operações em vários pontos do DF e cumpriremos mandados de prisão e de apreensão. A preocupação com os homicídios é grande, e vamos trabalhar forte para diminuir a incidência”

Coronel Roberto Oliveira,
secretário adjunto de Segurança Pública

Memória

4 de janeiro
Quatro pessoas foram baleadas em Planaltina. Duas vítimas não resistiram aos ferimentos. A primeira era um jovem de 25 anos, que conversava com duas pessoas em um bar, na Quadra 1 do Arapoanga, quando teria começado uma briga com uma delas. O rapaz acabou atingido por um tiro na cabeça. No dia seguinte, por volta da 1h, um rapaz de 20 anos estava com um amigo na Quadra 6, onde foi ferido por três disparos. A vítima correu até a Quadra 13, mas foi atropelada por um veículo e arrastado por alguns metros.

6 de janeiro
Um adolescente de 17 anos foi encontrado morto na QNQ 3 de Ceilândia Norte, no Sol Nascente. De acordo com a Polícia Civil, a vítima foi morta com vários tiros.
Um jovem de 18 anos levou um tiro na perna esquerda após ser assaltado na Quadra 10 do Arapoanga. De acordo com a Polícia Militar, Hélio Ribeiro da Costa estava perto de casa quando foi abordado e teve a bicicleta levada pelos criminosos. Ao tentar fugir do assalto, os suspeitos dispararam duas vezes contra a vítima.

No início da tarde, uma adolescente de 15 anos foi baleada na cabeça na Estrutural. Ela estava sozinha quando foi abordada pelos criminosos, que fugiram sem que fossem identificados. O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas a garota morreu antes da chegada do socorro.

Em São Sebastião, um assassinato no fim da tarde tirou a vida de um rapaz de 19 anos. A vítima foi baleada várias vezes e morreu na hora. O crime ocorreu na Rua 53, no bairro Vila Nova.

7 de janeiro
Um homem foi morto depois de atingido por um tiro na Quadra 3 do Setor Leste, no Gama. A vítima tinha 18 anos e chegou a ser socorrida e encaminhada ao Hospital Regional do Gama, mas não resistiu aos ferimentos.

Um homem de 29 anos, morador de São Sebastião, foi assassinado com três tiros na porta de casa por dois homens que passavam de bicicleta.

Fonte: Blog do Sombra / Correio Braziliense – 09/01/2014

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: