DF retoma negociações com BID e aplicará US$ 71,4 milhões em ADE de Ceilândia e demais cidades

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


A cifra de US$71,4 milhões será injetada em ações de fomento em seis Áreas de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal (ADEs), com a assinatura de um contrato de empréstimo, nesta quarta-feira (10), entre o GDF, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Procuradoria da Fazenda Nacional. A solenidade, que retoma as negociações com o banco internacional, ocorreu na sede do BID.

O governador Agnelo Queiroz destacou que o empréstimo simboliza o fortalecimento das ADEs e, ainda,  a captação de mais recursos para a unidade da Federação, que estava em situação de inadimplência. “Nós estamos reestabelecendo nossas relações e criando condições para estabelecer um fluxo de investimentos para o crescimento dessa área importante do Distrito Federal, que gera emprego e renda”, enfatizou.
O secretário de Desenvolvimento Econômico (SDE), Hermano Carvalho, lembrou que, há aproximadamente seis anos, estavam paradas as negociações de empréstimos com o BID, que previa US$500 milhões para a execução de projetos do governo local. “Esse é o resgate do GDF como ator para captar mais recursos, já que tivemos que trabalhar intensamente para reabrir as portas para DF”, afirmou.
A quantia do empréstimo feito hoje – US$50 milhões do BID e R$21.430 milhões de contrapartida do governo local – foi aprovada em julho pelo Senado Federal e será utilizada por meio do Programa de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal (Procidades), criado pelo banco internacional. Com isso, serão beneficiadas as ADEs: Múltiplas Atividades, no Gama; Polo JK, em Santa Maria; Núcleo Bandeirante; e Centro Norte, Materiais de Construção e Setor de Indústrias, em Ceilândia.
O secretário destacou que os recursos serão aplicados na contratação de mão de obra em todos os níveis (empregados, técnicos, empresários); implantação do Núcleo Avançado para assistência de micro e pequenas empresas; implantação do Programa Piloto de Qualificação de Fornecedores; modernização tecnológica; e inovações e certificações.


Além disso, o valor será injetado em ações para implantação de paisagismo, instalação de praças e equipamentos públicos comunitários e outras obras de infraestrutura. Carvalho  também lembrou outros empréstimos que serão feitos em breve e que devem contemplar as áreas de saneamento básico.
 “A realização desses projetos é fundamental, porque estão diretamente ligados à qualidade de vida das pessoas. A melhoria dos serviços, infraestrutura, geração de emprego aumenta a renda e inclusão de todos os habitantes”, enfatizou a representante do BID no Brasil, Daniela Carrera Marquis, que agradeceu e ressaltou a importância de um novo início de parcerias.
PROGRAMA – Criado em 2006 pelo BID, o Procidades pode financiar até US$ 800 milhões. A iniciativa auxiliará na expansão econômica do DF, com melhorias nas condições dos ambientes de negócios, o que inclui desenvolvimento urbano integrado, transporte, sistema viário, saneamento, desenvolvimento social, gestão ambiental e fortalecimento institucional, entre outros.

Os componentes básicos do programa são quatro: Desenvolvimento Institucional da Secretaria de Desenvolvimento, Programa de Atração de Investimentos, Desenvolvimentos Empresarial das ADEs e Urbanismo e Infraestrutura nas ADEs.

Agência Brasília

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: