Discussões entre GDF e Sindicato dos Professores no DF avançam

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


foto: Roberto Barroso
foto: Roberto Barroso
As negociações entre professores e o GDF avançaram na manhã desta terça-feira e apontam para um acordo. Em reunião com o governador Agnelo Queiroz na Residência Oficial de Águas Claras os representantes da categoria saíram otimistas com a sinalização de que algumas das demandas históricas dos educadores, como a incorporação de gratificações, a equiparação com as demais carreiras de nível superior e a recomposição salarial, possam ser atendidas.

Ainda hoje está prevista a realização de outra reunião entre o governador Agnelo e o sindicato dos professores quando detalhes do pacto devem ser acertados. “A melhoria nas condições de trabalho dos professores é um objetivo estratégico de nossa política de valorização da educação. Estamos fazendo todo o esforço possível para conseguirmos atender demandas históricas da categoria”, afirmou o chefe do executivo do Distrito Federal.
O GDF irá, até o próximo encontro, desenvolver um plano de implantação das solicitações da categoria, em especial a incorporação da Tidem, gratificação que os professores recebiam por dedicar-se exclusivamente ao trabalho nas escolas públicas do DF. “A implantação das demandas acarretará uma despesa de cerca de R$170 milhões acima do limite de prudência”, explicou Agnelo.
Em março o governo decidiu incorporar a Tidem para todos os servidores do magistério. Agora, pretende fazer essa inclusão num prazo menor. “Estamos trabalhando exaustivamente sobre o orçamento para reduzir esse déficit e conseguirmos atender a categoria sem colocar a saúde financeira do Distrito Federal em risco”, completou o governador do DF.
Segundo Washington Dourado, do departamento jurídico do Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-df) as negociações estão resultando em avanços significativos. “Este é um passo importante para todos. A categoria está animada com a sinalização de que questões históricas sejam solucionadas”, afirmou.
Tolentino Melo, da Agência Brasília

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: