Distritais aprovam Plano Diretor de Transporte Urbano

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Distritais aprovam Plano Diretor de Transporte Urbano

Deputados aprimoraram PDTU (Foto: Carlos Gandra/CLDF)
Depois de muitas negociações, os deputados distritais aprovaram em sessão extraordinária, na noite de terça-feira (19), o projeto de lei 240/2011, do GDF, que cria o Plano Diretor de Transporte Urbano e Mobilidade do Distrito Federal (PDTU). A proposta do governo, que foi discutida este mês em audiência pública na Câmara Legislativa, recebeu 54 emendas dos parlamentares com 63 sugestões de mudanças no texto. A aprovação aconteceu em primeiro e segundo turnos, além da redação final.
De acordo com o Plano, até 2020 serão investidos cerca de R$ 5 bilhões em todo o sistema de transporte coletivo do DF e também do Entorno. Agora, o projeto aprovado em Plenário, segue para sanção do governador Agnelo Queiroz. Só do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade, administrado pelo Ministério das Cidades, devem ser investidos cerca de R$ 2,4 bilhões. 
Entre as várias mudanças previstas no PDTU, estão a criação de corredores exclusivos para ônibus, construção de terminais, ciclovias, calçadas, conclusão da Linha Verde, integração do metrô com o transporte coletivo das cidades do Entorno, além da bilhetagem eletrônica. Quatro novas estações do metrô estão previstas para a Asa Norte.
No começo da sessão extraordinária, a deputada Celina Leão (PMN) tentou adiar a votação do segundo turno para a próxima semana, alegando que ainda havia muitas dúvidas sobre o projeto e o teor das emendas. O presidente da Câmara Legislativa, deputado Patrício (PT), confirmou a votação, justificando que esse foi o acordo feito desde a semana passada entre os líderes partidários. 
O líder do governo, deputado Wasny de Roure (PT), ressaltou a relevância da medida para a população que utiliza o transporte urbano. Ele lembrou aos colegas que o DF ainda vai concorrer ao financiamento do PAC junto com outras unidades da Federação – fato que justificava a necessidade de aprovação urgente da proposta.
Já o relator do projeto na Comissão de Assuntos Fundiários (CAF), deputado Cláudio Abrantes (PPS), destacou que as emendas ao texto do PDTU tiveram o objetivo de clarificar conceitos e sua redação. “Os parlamentares aprimoraram a proposta com contribuições obtidas junto à sociedade”, destacou Abrantes.
Deputada de oposição, Celina Leão justificou seu voto dizendo que “votou favorável a Brasília”, mas criticou “a forma apressada como a proposta foi analisada na Câmara Legislativa. Já o presidente da CLDF, deputado Patrício, disse que a provação de uma matéria importante como o PDTU é um “presente no aniversário de 51 anos da capital”.
* Colaboração de Bruno Sodré, da Coodenadoria de Comunicação Social.
Zildenor Ferreira Dourado – Coordenadoria de Comunicação Social

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: