Distrital Luzia de Paula e a dancinha das emendas

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Acuada com a repercussão da
execução de emendas parlamentares para shows com preços acima do mercado, a
distrital Luzia de Paula (Rede) encheu a Câmara Legislativa com aliados do meio
artístico. O som dos apoiadores, no entanto, não ajudou. Enquanto batucavam na
plateia, a deputada arriscou uns passos de samba no plenário da Casa, o que não
pegou bem. Além das críticas que ela vinha recebendo por ter gastado até R$ 30
mil em apresentações musicais de uma hora, agora ela tem mais um motivo para se
explicar. Apesar do julgamento negativo da atitude nas redes sociais, boa parte
dos deputados fez questão de prestar solidariedade à colega, classificada como
“reconhecidamente honesta”.

As imagens da parlamentar
lembraram episódio ocorrido no Congresso Nacional em 2006. Naquela ocasião, a
então deputada federal Angela Moraes ensaiou alguns passos para comemorar a
absolvição do colega João Magno, acusado de receber dinheiro do mensalão.
Diferentemente de Angela, Luzia não tem motivos para celebrar. A Controladoria-Geral
do Distrito Federal (CGDF) apura a execução das emendas da distrital.

Segundo o Correio mostrou na
semana passada, o GDF executou pelo menos R$ 1,1 milhão em emendas
parlamentares para shows em Ceilândia. Em alguns casos, cantores receberam R$
10 mil para tocar uma hora no restaurante comunitário da região. Em outras
situações, bandas que cobram R$ 6 mil por apresentação chegaram a receber R$ 30
mil, ou seja, cinco vezes o valor de mercado.
O evento Natal Solidário, que
ocorreu em 26 e 27 de dezembro, teve despesas de R$ 297 mil só em cachês. A
quantia é fruto de emenda indicada pelo distrital Bispo Renato Andrade (PR),
que alega não ter permitido a execução naquela área. “Era para o (evento
esportivo) Trilha Certa, em Taguatinga”, afirma o deputado, que diz ter
preparado pedido de auditoria ao Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF).
Cultura
Boa parte da sessão de ontem
ficou destinada à defesa da deputada. Após reelegerem os presidentes das 10
comissões permanentes da Casa — a única mudança ficou por conta da
vice-presidência da Comissão de Segurança, agora ocupada por Roosevelt Vilela
(PSB) —, os parlamentares tomaram o plenário para ouvir o discurso de Luzia e
defender a distrital da Rede.
Na tribuna, ela afirmou que
continuará a direcionar recursos para a cultura. “A emenda foi tocada em uma
creche de instituição sem fins lucrativos fundada por mim. Se fizermos os
cálculos, são R$ 4.862.562 por ano, ou seja, R$ 28,72 por dia para manter
crianças com refeições de qualidade e professores”, explicou. “E vale lembrar:
os parlamentares indicam a emenda, quem executa é o governo”, continuou.
Segundo Luzia, a dança aconteceu enquanto a sessão estava interrompida:
“Plenário é quando a sessão está aberta”.
O deputado Ricardo Vale (PT)
informou que destinará R$ 5 milhões para a área de cultura do DF. “É dinheiro
que vem de impostos, que merece ser transformado em prestação de serviço”,
avaliou. O também petista Wasny de Roure disse conhecer Luzia “muito tempo
antes de ela se tornar parlamentar e conhece a seriedade do trabalho da
deputada”. A presidente da Casa, Celina Leão (PDT), citou uma das bandeiras de
Luzia — defesa das crianças — como “uma das mais nobres da Câmara”.


*Por Matheus Teixeira e Guilherme Pera / Correio Braziliense

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: