Eleição da CPI do Pró-DF repercute e gera saída de membros

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Eleição da CPI do Pró-DF repercute e gera saída de membros

Aylton Gomes será relator da CPI (Foto: Fábio Rivas/CLDF)

A repercussão da eleição do presidente e vice-presidente da CPI do Pró-DF e a saída de dois membros da comissão foram os principais temas discutidos pelos parlamentares na sessão ordinária desta quarta-feira (18). Ontem Eliana Pedrosa (DEM) foi escolhida como presidente e Olair Francisco (PTdoB), vice. Hoje Chico Leite (PT) e Prof. Israel Batista (PDT) anunciaram a saída da CPI, alegando que não foi observada a tradição de que o primeiro subscritor do requerimento que origina a CPI – neste caso Chico Leite – seja o presidente ou relator. A relatoria da investigação sobre irregularidades na execução dos programas do GDF de apoio ao empreendimento produtivo ficará a cargo de Aylton Gomes (PR).
Quem abriu o debate foi o próprio Aylton Gomes, que se disse “indignado” por não ser considerado integrante da base do governo. O discurso do distrital foi uma resposta às declarações de parlamentares da base governista veiculadas na imprensa. “Será que para ser da base é preciso ser do PT? Esse governo precisa saber compor com os demais partidos, traduzindo, assim, a vontade da população. Questiono o líder do governo sobre qual é o meu lugar?”, afirmou Aylton Gomes.
Em aparte, o deputado Wellington Luiz (PSC) considerou como “lamentável” as declarações de que a CPI estaria na mão da oposição. “Lamento esse tipo de tratamento. Também quero saber se sou da base?”, questionou.  Já o vice-presidente da Câmara Legislativa, Dr. Michel (PSL), afirmou que a casa vive uma situação constrangedora e que o deputado Aylton Gomes “tem todo o direito de ser relator”.
O vice-presidente da CPI do Pró-DF, Olair Francisco, por sua vez, disse que a investigação é um desejo do parlamento e não do governo e que a decisão dos cinco membros da comissão tem que ser respeitada. “Temos que parar com essa choradeira de pedir para sair da comissão porque foi derrotado na eleição. É preciso vencer no diálogo”, observou Olair.
Novos Membros – Com a saída de Chico Leite e Prof. Israel Batista, assumem os suplentes Chico Vigilante (PT) e Joe Valle (PSB). Ao anunciar a saída de ambos os distritais, a presidente da CPI, Eliana Pedrosa, considerou o episódio como lamentável. “Pessoas pensam que não é preciso trabalhar para construir a vitória. Saíram por que perderam. É por isso que disse que as pessoas se apequenam”, afirmou a parlamentar.
O deputado Prof. Israel fez a sua defesa e a do deputado Chico Leite, que não compareceu ao Plenário. O pedetista disse que acredita ter tomado a decisão certa. “O deputado Chico Leite, em vez de negociar sua função na CPI, usou o tempo para investigar, antecipando o seu papel de relator. Deixamos a CPI pelo desrespeito à tradição de que o primeiro subscritor ocupasse a relatoria ou a presidência”, destacou Israel.
O líder do governo, Wasny de Roure (PT), admitiu a derrota da articulação governista, reiterou o desrespeito à “tradição” e questionou os motivos de Olair Francisco e Aylton Gomes não terem subscrito o requerimento de criação da CPI do Pró-DF. “Acho que não foi a melhor decisão. Eu também não participaria dessa CPI”, afirmou Wasny.

Bruno Sodré de Moraes – Coordenadoria de Comunicação Social 
http://www.cl.df.gov.br

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: