Empresa responsável por obras na UnB de Ceilândia será multada por atraso

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Do Correio Braziliense.


Um dia após o Correio publicar reportagem sobre a falta de infraestrutura nos três câmpus avançados da Universidade de Brasília (UnB), a Secretaria de Obras do DF informou que a empresa responsável pela construção de dois prédios em Ceilândia será multada pelo atraso nas obras. O órgão, no entanto, não informou o valor da penalidade e quando ela será aplicada. O prazo de entrega dos edifícios venceu há quase dois anos. Em função disso, os alunos ocupam parte do no Centro de Ensino Médio nº4 (CEM 4) da cidade. Com a demora, as turmas iniciais temem concluir a graduação na estrutura improvisada.

Diferentemente das unidades de Planaltina e do Gama, a de Ceilândia é a única em que o GDF foi além da cessão de terrenos e prometeu a construção de prédios. Dos três câmpus, somente ele não foi inaugurado. Segundo representantes do Executivo, o atraso se deu em função de mudanças de governo e das constantes revisões dos contratos. “No próximo dia 15, começa o segundo semestre letivo. Dependemos de um dos prédios quase pronto para o início das aulas”, disse a diretora da faculdade, Diana Pinho. “Na próxima semana, esperamos ter uma reunião com o GDF para definir essa questão”, acrescentou. O segundo prédio construção não tem previsão para ser concluído, mas a empresa responsável pela obra solicitou mais 55 dias para a entrega. A Secretaria de Obras analisa o pedido.

Dura rotina
Os câmpus do Gama e de Planaltina também apresentam muitos problemas, conforme o Correio mostrou ontem. Possuem estruturas subutilizadas, por falta de equipamentos e de infraestrutura básica, como rede de água e esgoto. A UnB já investiu quase R$ 90 milhões na expansão da universidade. Os três câmpus possuem 239,5 mil m2 para atender 3.700 alunos.

Por meio da Secretaria de Comunicação do GDF, o governador Agnelo Queiroz (PT) disse que apoia a UnB no seu plano de expansão, que, segundo ele, representa a democratização do acesso à educação de qualidade pública. Informou, ainda, que “fará o que estiver ao alcance, por meio de parcerias, para ajudar nas melhorias necessárias.”

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: