Enfim, o namoro vira casamento.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Foi longo, muito longo, o namoro entre o PMDB e o distrital Wellington Luiz (foto). Começou quando o deputado estava ainda no PSC, à época rorizista, e pensava em mudar de partido, mas temia perder o mandato por força da fidelidade partidária. Quando se criou o PPL, abrigando principalmente o veterano MR-8, Wellington Luiz percebeu a chance de abandonar a antiga legenda e se filiou como fundador, escapando assim aos rigores da fidelidade. A filiação está marcada para 13 de junho, logo depois do Dia dos Namorados, no clube da Agepol, entidade que Wellington, policial civil, já presidiu.  
Teste para a Justiça Eleitoral


A transferência de Wellington servirá também para testar uma tese esposada pelo Ministério Público. Embora nem o PSC, nem o PPL pretendam reclamar seu mandato na Justiça Eleitoral — o PPL deu até garantias nesse sentido — o Ministério Público deverá entrar no Tribunal Superior Eleitoral com pedido de cassação. Alegará que a mudança de legenda constituiu apenas manobra para fugir à fidelidade partidária. Ainda inexiste jurisprudência a respeito. 

Por Eduardo Brito

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: