Entre acertos e expectativas.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Saúde, educação, segurança pública e transporte público são desafios que estão na agenda de prioridades do Governo do Distrito Federal para os próximos dois anos. O caos politico e administrativo já passou e vencida esta fase a sociedade já identifica acertos e perspectivas de que um novo momento pode acontecer.

Exemplo disto são: a contratação de um novo sistema de transporte coletivo com implantação prevista para até o meio do ano; a construção do corredor de transporte entre o gama e o plano piloto; a gestão democrática nas escolas pública já começa a dar sinais com a dinamização da gestão escolar; a implantação de 600Km de ciclovias já começam a serem concretizadas( com especial atenção para sua implementação nas cidades satélites e agora no Plano Piloto); conclusão do estádio nacional mané garrincha, que impulsiona um programa de desenvolvimento do turismo e qualificação de profissionais para atuarem na prestação de serviço são sinais claros de direção. Outro mérito que se deve observar no atual governo é a conclusão de obras do governo passado(fato não corriqueiro na politica brasileira). 


Para além desta questões, a gestão eficiente dos programas sociais( limpeza da lista, expurgos dos apadrinhamentos e adequação a nova realidade econômica das pessoas), programa habitacional tendente à suprir a demanda), regulamentação e regularização fundiária de condomínios horizontais, cidades e vias públicas limpas e recapeadas, presença do governo na manutenção diária são, também, indicativos de novos tempos.

Para a Associação Comercial de Ceilândia – ACIC, ainda há muitas questões que requerem ações com a mesma firmeza com que foram enfrentadas as fila de cirurgias na área de saúde. No que tange a segurança pública o governo precisa ser mais ousado, ampliando o choque de gestão, substituindo o expressivo contingente de policiais alocados nos postos comunitários por guardas privados na vigilância dos postos policiais, e por conseguinte alocá-los no policiamento preventivo, comunitário e de inteligência em pontos estratégicos das cidades satélites no combate a insegurança pública fomentada pelo consumo de droga e pelo crime organizado. 

Ademais, o governo do Distrito Federal precisa gerir melhor as expectativas da população, por exemplo, em Taguatinga e Ceilândia, o GDF precisa demonstrar que se preocupa com as dificuldades pontuais e diárias dos cidadãos frente ao congestionamento diário provocado pelo estrangulamento viário entre Ceilândia e o acesso a nova EPTG, anunciando quando vai iniciar a construção do túnel que ligará a via estádio a EPTG( o chamado túnel de Taguatinga – Ceilândia). 

Quanto as limitações de recursos disponíveis o GDF precisa se valer mais da utilização das Parceria Público Privada – PPP para alavancar o desenvolvimento do DF. Um exemplo de sucesso desse instrumento de fomento é a PPP do Centro Metropolitano entre Taguatinga e Ceilândia, obra em ritmo acelerado, equipamento que abrigará parte do GDF, permitindo que os órgãos de atendimento ao cidadão fiquem mais perto de mais de 70% da população do DF e que por consequência desafogará as vias que ligam essa região ao Plano Piloto e desconcentrará os investimentos e o desenvolvimento do DF.

Por fim, a magnitude dos desafios causam certo frio na barriga, mas a comunicação eficiente de governo é fundamental para que se crie um ambiente propicio de credibilidade quanto as metas e o fluxo de realizações do governo. Aproximar-se da população é o caminho para oferecer respostas a critica raivosa e contumaz. Mobilização diária da máquina de governo para que atue de forma uníssona, demonstrará que os compromissos serão cumpridos. Ceilândia-DF, 15 de janeiro de 2013. 

NOTA DA ACIC.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: