Entrevista com Olair Francisco

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação
Estreante na política, o empresário Olair Francisco (PTdoB) quer trabalhar para diminuir o desemprego no DF. Para ele, é melhor oferecer um emprego do que dar uma cesta básica. Esta foi a segunda vez que Olair se candidatou a distrital, mas só agora conseguiu uma das 24 vagas. Olair começou como camelô em Taguatinga, montou uma loja de calçados e cresceu no setor. Ele quer levar sua experiência como empregador para dentro da Câmara, na elaboração de projetos que ajudem o desenvolvimento de empresas do DF e a geração de empregos.
Por quer o senhor quis ser deputado distrital?
Olair Francisco – Acredito que a política é que faz as grandes transformações. De 1986 para cá, Brasília se transformou muito. Entro com a vontade de ser a pessoa mais justa possível, para ajudar Brasília e mudar a imagem que a população tem da Câmara Legislativa.
O que o senhor acha de um deputado distrital custar, ao longo do mandato, a bagatela de R$ 12,4 milhões aos cofres públicos?
Olair Francisco – Este não é o custo do parlamentar isolado, mas de toda a estrutura. Nós, como representantes do povo, precisamos de pessoas de confiança. Não posso ter uma secretária ou um assessor jurídico em quem não confie. Portanto, precisamos contratar pessoal. Por outro lado, há muitas coisas que precisam ser revistas, por exemplo, os valores das chefias e o vale alimentação, que custa mais de R$ 600, mais alto que um salário mínimo. Essa reestruturação administrativa que será feita é muito importante, haverá muitas mudanças. Vamos rever verba de gabinete, salários, dar uma mudada grande na gestão como um todo dentro da Câmara.
Qual o primeiro projeto que pretende apresentar/defender neste mandato?
Olair Francisco – Como empresário, tomo uma medida importante para evitar o desemprego e pretendo transformar isso na Lei 40. A ideia é que toda empresa reserve 10% das vagas para quem tem mais de 40 anos. Acho importante pois uma mulher com mais de 40 anos só consegue emprego em casa de família e um homem, como pedreiro. Mas, para não ser inconstitucional, essa lei precisará ser feita em âmbito federal. Vamos procurar um deputado federal para colocá-la em prática.
Outro projeto é que o governo dê incentivos a empresas que contratem jovens para o primeiro emprego. O mercado está concorrido e tanto quem tem mais de 40 anos como quem não tem experiência precisa de uma oportunidade. A comunidade de Brasília busca apenas o funcionalismo público. Temos de mostrar que a iniciativa privada também oferece boas oportunidades. Por isso, é importante investir e valorizar as empresas do DF.  (Por Marcella Oliveira)

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: