Envio da Força Nacional é consequência da falta de gestão e do tratamento desumano às corporações, diz deputado Patrício

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

  • Foto: Divulgação
  • O presidente da Câmara Legislativa, deputado Patrício, repudiou a convocação, pelo GDF, de cerca de 100 homens da Força Nacional para o Distrito Federal desde essa quarta-feira (29). Em discurso no plenário da Câmara Legislativa, o deputado destacou que é desnecessário e ineficaz o envio das tropas federais para a capital do País. “Não é necessária a existência da Força Nacional de Segurança para ser deslocada para qualquer unidade da Federação quando houver qualquer tipo de problema, seja no combate à criminalidade, seja em greves de policiais civis, militares ou bombeiros, seja em greve da Polícia Federal ou da Polícia Rodoviária Federal. Sou contra a existência da Força Nacional, da sua concepção, inclusive. Foi um equívoco”,afirmou.

    Para o deputado Patrício, é preciso respeitar as corporações policiais militar e civil de todo o País, com salários dignos e melhores condições de trabalho. “Se houvesse isso não precisaria haver a Força, que nada mais é do que a composição de integrantes das polícias estaduais, inclusive, do Distrito Federal, que vão fazer um curso de 45 a 50 dias lá na Academia Nacional de Polícia. Esses policiais, em cinquenta, sessenta dias, não aprendem nada mais do que aquilo que é ensinado nas academias de polícia, nos centros de formação de praças das polícias militares, das polícias civis, dos bombeiros em todo o País. É a unificação do procedimento, só isso. A diferença é que os policiais que integram a Força recebem gratificação, salário a mais”.
     
    O problema rotineiro da segurança pública, na visão do deputado Patrício, é uma discussão permanente e profunda. Durante o pronunciamento, ele fez questão de ressaltar a importância da PEC 300, que equipara os salários de outras unidades da Federação aos do DF. “Fui presidente da Associação Nacional dos Praças, Policiais e Bombeiros Militares e sei da realidade de cada unidade da Federação. É preciso fazer o discurso político não para ganhar voto, mas o discurso de resolver o problema da segurança pública, de combater a violência. É preciso colocar o dedo na ferida. O que nós vivemos hoje aqui é fruto da arrogância, da prepotência, do despreparo, do desrespeito, do tratamento desumano e indigno a qualquer servidor público. É isso que resultou no envio da Força Nacional”.
     
    Ainda durante seu discurso, o deputado Patrício destacou inúmeros problemas que são o foco da insatisfação de policiais militares, causados pelo comandante da corporação, coronel Suamy Santana. “Faço o debate olhando no olho porque o tratamento que ele tem dado nos quarteis é desumano. Temos recebido inúmeras reclamações aqui e em todas as cidades. É um equívoco na gestão pública, principalmente no Governo do Partido dos Trabalhadores. É inaceitável o que ele está fazendo, fruto da arrogância, da prepotência e do despreparo de quem é autoritário no exercício da função”.

    Site do Deputado Patrício

    Deixe uma resposta

    Veja Também:

    Últimas Postagens

    Siga-nos nos Facebook

    %d blogueiros gostam disto: