Especialistas no Atendimento Socioeducativo fazem palestra em escola de Ceilândia

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


As escolas públicas de São Sebastião e Guará receberam os
especialistas durante o mês de outubro e Ceilândia já havia recebido a visita
dos especialistas no dia 15.09.17 no qual
palestraram
aos alunos do 6º ao 9º ano no Colégio Instituto de
Educação Fênix
.

Desta vez, a Região de Ceilândia é novamente visitada e a
escola será o Centro de Ensino Médio 09 que receberão
o
Promotor de Justiça de Defesa da Infância e Juventude Renato Varalda e os Especialistas
em gestão e políticas em Segurança Pública, Serviços Penais e Atendimento Socioeducativo
o Sr. Valdigne Baia e o Sr. Roges Ribeiro no dia 17 de novembro.

O promotor Renato Varalda
palestrará para cerca de 100 estudantes e explicará a importância de ser
honesto nas atitudes do dia a dia.

O
Projeto “O que você tem a ver com a corrupção?” é voltado à formação
do ser humano com vistas ao exercício da cidadania plena, tendo a área da
Educação como instrumento difusor e o princípio da ética o seu elemento
norteador.

Os especialistas Valdigne
Baia e Roges Ribeiro, visando a prevenção e a violência nas escolas, discorrerão sobre o envolvimento do jovem em práticas
de atos infracionais e as suas consequências lesivas em razão da conduta
(crime), atos de indisciplina escolar, drogas e seus malefícios, a importância
da leitura, direitos e deveres dos pequenos cidadãos previstos no Estatuto da
Criança e do Adolescente.

O
especialista Valdigne Baia defende a aplicação da lei
11.525/2007
efetivamente em todas as escolas do DF: “A
introdução do ECA como matéria obrigatória a ser inserida nos currículos
escolares atenta para a proteção da pessoa em desenvolvimento e para a prevenção
de ato infracional praticado pela criança e adolescente. Busca-se que o
infante, ao conhecer melhor os desígnos jurídicos ofertados pelo ECA tome
ciência do presente ordenamento legal e deixe de praticar o ato infracional. Um
dos caminhos é o de estabelecer, para esses pequenos cidadãos, programas como
Oficinas de Trabalhos Manuais e Intelectuais, Grupo de Discussões, Trabalho com
as Famílias entre alternativas que visam a ampará-los e estabelecer a prevenção
primária no que tange a violência principalmente praticado contra os
professores”.

“Nós queremos trabalhar a
prevenção por meio do aconselhamento. Explicar ao adolescente e sua família as
consequências dos atos infracionais e o que isso reflete. Esperamos, sobretudo,
mudança de comportamento partindo de uma reflexão. Faremos  essas palestras para que haja reflexão e
mudança, com o intuito de diminuir esses números altíssimos de violência nas
escolas e conscientizá-los que podem ser responsabilizados, dependendo da
gravidade do ato infracional, e receberem restrição de liberdade, ou seja,
medida aplicada pela Vara da Infãncia e Juventude ”, explicou o
Especialista Roges Ribeiro.

As
escolas serão o importante ambiente de execução, de modo a envolver estudantes,
professores, responsáveis e comunidade. Com a presente proposta, pretende-se
propiciar, no ambiente escolar, momentos de reflexão sobre a cultura da
corrupção e da violência que afeta a vida contemporânea da sociedade e a
necessidade de superá-la.

Nesta
oportunidade,
os alunos farão uma produção textual sob
a supervisão dos professores ou
trabalhos em grupo sobre os temas abordados na palestra como forma de
incentivar os alunos a usarem seu senso crítico na produção textual e no protagonismo juvenil.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: