Estoque do banco de leite do Hospital de Ceilândia atinge índice crítico

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Os estoques de leite materno nos hospitais públicos do Distrito Federal preocupa. No Hospital Regional de Ceilândia (HRC) os baixos índices de doação chegaram a nível crítico, já que a demanda mensal é de 120 litros para abastecer a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Neonatal, no entanto, em janeiro, foram arrecadados apenas 42 litros. No mês de fevereiro, até o momento, apenas 30 litros estão nos freezeres do HRC, representando 25% do necessário.

Para doar, nem é preciso sair de casa, pois uma equipe do Corpo de Bombeiros vai até a casa da lactante para fazer a coleta. Eles deixam os potes na casa da doadora e retornam na semana seguinte para buscar o que foi coletado. Este leite é usado para bebês com o estado de saúde debilitado, que ainda não têm a capacidade para a sucção no seio materno.

De acordo com a chefe do banco de leite do HRC, Derlucy Gomes, o hospital nunca passou por uma crise como esta. “Nós tivemos épocas que recebíamos 30 litros de leite por dia. Agora, esse valor não consegue ser atingido nem em uma semana inteira”, lamenta. Ainda segundo ela, a produção é muito relativa e varia de mãe para mãe. “Já tivemos doadoras que, em uma semana, conseguiram coletar 10 litros”, disse Derlucy.

Como doar
Somente as lactantes em perfeitas condições de saúde podem ser doadoras. As regras para a coleta de leite são parecidas com as de sangue. Mães que estejam tomando medicamentos controlados, gripadas, ou que possuam determinadas doenças sexualmente transmissíveis não podem doar.

Crise geral

A falta de leite também preocupa os Hospitais Regionais da Asa Norte (Hran) e da Asa Sul (Hras). De acordo com a coordenadora de aleitamento materno e banco de leite humano da secretaria de Saúde, Mirian Santos, a crise é geral, pois os estoques pertencem à toda a rede de saúde. “Quando um hospital tem mais leite do que precisa, ele transfere para um que está em falta. Mas, atualmente, os bancos de leite não conseguem nem suprir a própria demanda”, afirmou a coordenadora.

Segundo Mirian, os bancos sempre sofrem baixas durante o período de férias. Ela informa também que, tanto as quantias consumidas pelos bebês, quanto o valor doado pelas mães varia em cada caso e qualquer quantia arrecadada é bem vinda. Em 2010, os bancos de leite do Distrito Federal arrecadaram 17.800 litros.



Correio Braziliense.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: