Evento lança temporada de homenagens ao aniversário de Ceilândia

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
O JK Shopping deu início, ontem (13/03), às homenagens dos 43 anos de Ceilândia com a exposição “Encanta Ceilândia – Xilogravura e Cordel”. O superintendente do complexo comercial Sidney Pereira, ao lado da curadora Ana Paula Peigón, recebeu convidados para conferir em primeira mão o belíssimo projeto.

A mostra, que fica até o dia 30 de março, traz uma grande coletânea de trabalhos de artistas consagrados internacionalmente, valorizando a cultura e história do Nordeste. Além disso, traz uma agenda rica de músicos e teatro infantil, unindo educação e entretenimento. 

Em seu discurso de abertura, Sidney agradeceu a receptividade da comunidade da Ceilândia, que desde a inauguração os acolheu com tanto carinho. “É fundamental que o shopping retribua tamanha atenção que recebeu. Por isso quisemos prestar nossa homenagem, principalmente àqueles que trabalharam duro para construir esta cidade. E hoje queremos fazer parte desta família e colaborar com o crescimento da região”.

 O mímico Miqueias Paz fez as honras como mestre de cerimônia da noite que foi embalada pelo grupo Mambembrincantes. Ele resume a ideia como “contagiante e maravilhosa”. Para ele, que sempre foi reconhecimento por sua contribuição cultural para o DF, é importante a promoção de atividades que reforcem as raízes de uma comunidade. “A identidade é fundamental para que o povo não perca o seu ‘eu’. E é muito interessante observar, dentro de um ambiente como o shopping, que possui características universais de qualquer lugar do mundo, tenhamos elementos regionais, ou seja, que tragam a identidade da Ceilândia para cá”. Chico Simões, ator, mamulengueiro e grande especialista da arte popular brasileira, também esteve presente no local e aplaudiu a proposta da exposição. “Podemos ver aqui o antagonismo, entre a modernidade de um shopping e a tradição da cultura popular, dialogando muito bem. Elas podem conviver lado a lado”.
                        
 Durante a noite foi lançado ainda a obra “Ceilândia, 43 anos”, um cordel escrito pelos repentistas João Santana e Chico Assis e ilustrada por Jô Oliveira. João Santana esteve no evento e aprovou o trabalho da mostra. “O JK se propôs a oferecer uma programação tão rica não só em arte nordestina, mas em cultura brasileira. É uma aula de brasilidade”. Palavras completadas pelo renomado cordelista Gonçalo Gonçalves que também esteve no evento. “Lá fora as pessoas reconhecem o quanto o cordel é valioso. Em diversas universidades, na França e em Portugal, por exemplo, eles aplaudem de pé”.
Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: