Famílias de Ceilândia ganham aquecedores solares da CEB

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram



[Agência Brasília] As primeiras dezenas dos 2 mil
aquecedores solares que serão doados pela Companhia Energética de Brasília
(CEB) no Distrito Federal começaram a ser instaladas. Famílias de
Ceilândia, como a de Maria Gonçalves, de 45 anos, são as primeiras beneficiadas
na terceira edição do Agente CEB, parte do programa de eficiência energética do
órgão.

Pagando cerca de R$ 100 na
conta mensal, a auxiliar de serviços gerais sabe que um dos principais
consumidores de energia em casa é o chuveiro elétrico. Com o aquecedor, a
expectativa é por um alívio no bolso. “Achei a ideia interessante. Já
economizamos água e agora também vamos cortar na energia”, conta.

O chuveiro elétrico representa
cerca de 30% dos gastos domésticos com energia. Os aquecedores doados têm
capacidade para aquecer 200 litros de água, na temperatura de 60º C, usando
apenas a luz solar. Segundo Caio César Rocha Barroso, técnico em eletrotécnica
da CEB, o reservatório instalado consegue abastecer uma casa — com uma média de
seis moradores — por dois dias, dando, portanto, resguardo para dias sem sol.

“O equipamento é colocado
acima do banheiro, na parte externa, preferencialmente em locais com laje”,
explica. De lá, é feita uma abertura no teto para levar a tubulação do
reservatório direto ao encanamento do chuveiro. Acrescenta-se ainda um segundo
registro. O chuveiro fica no modo desligado, liberando apenas água fria. “O
consumidor abre o registro da água quente, que vem do reservatório, para
misturar e aquecer a água na temperatura que quiser.”

Na família de Maria, com cinco
moradores na casa, o técnico estima que a redução mensal seja de 62 Kwh. O que,
em um ano, pode representar uma economia de aproximadamente R$ 420. Mas isso
depende dos hábitos de cada um, como o tempo do banho. Até agora, 30
aquecedores foram instalados em Ceilândia.

Requisitos para receber o
aquecedor solar

O beneficiário tem de atender
aos critérios de seleção. Além de ser consumidor da CEB e estar inscrito em
algum programa social do governo, precisa ter uma casa que ofereça condições
estruturais. Agentes da CEB visitam as residências — em áreas carentes do DF —
e verificam se o local está apto a receber a placa de captação da luz solar e o
reservatório térmico para armazenar a água aquecida.

As moradias precisam ter laje,
que é a estrutura adequada para receber o equipamento, ou espaço físico
suficiente para a instalação de uma estrutura à parte que comporte o aquecedor.

Essa edição do Agente CEB
também trocará 7 mil geladeiras e 80 mil lâmpadas. Os investimentos para a
aquisição desses equipamentos e dos aquecedores solares, além dos serviços,
somam R$ 16.630.992,79.

Entre as obrigações previstas
em contratos de concessão firmados pelo Ministério de Minas e Energia está a
aplicação de, no mínimo, 0,5% da receita operacional líquida da distribuidora
em ações de combate ao desperdício de energia (programas de eficiência energética).
A medida, prevista na Lei Federal
nº 9.991
, de 2000, é fiscalizada pela Agência Nacional de Energia
Elétrica (Aneel).

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: