Feitos e desfeitos de Agnelo, de Wasny e de suas companhias

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Foto: Arquivo Notibras

Para o povo, segundo as pesquisas, Agnelo não tem sido um bom governante e para os distritais, Wasny está aquém das expectativas. …



Faltam apenas 421 dias para acabar este mandato de Agnelo Queiroz. Até lá teremos eleições para presidente da República, governador, deputados distritais, deputados federais e uma vaga para o Senado.

O quadro político no DF que não é dos melhores, deverá sofrer grandes alterações, o que já é ruim poderá mudar, e mudar para pior. As pesadas nuvens dos escândalos vividos por todos continuam sobre a cidade, e parece que não irão se dissipar.

Em 2010, com o rastro de pólvora que atingiu o DF, Agnelo Queiroz foi eleito. Sem experiência, e sem conhecer as artimanhas deixadas pelos quatro governadores que o antecederam, falo dos que governaram por apenas um ano: Arruda, Paulo Octávio, Wilson Lima e Rogério Rosso.

Agnelo herdou um duro fardo e o carrega até hoje. Paga um preço alto por ter que cumprir algumas das promessas feitas aos partidos que o ajudaram a chegar ao GDF, e outro preço pelas promessas que não consegue cumprir. Bombardeado por acusações feitas, na maioria das vezes por seus antigos aliados, cito os exemplos de João Dias e Daniel Tavares, por último, Agnelo foi jogado dentro do escândalo da Operação Monte Carlo. Convocado, Agnelo saiu da CPI do Cachoeira fortalecido.

Na Câmara Legislativa o deputado Sidney Patrício conduziu com maestria a presidência da casa. Colocou o legislativo no seu devido lugar de destaque. O fato lhe causa dores de cabeça até hoje. Alvo da inveja, da incompetência e da deslealdade de seus falsos amigos e até de colegas do próprio partido que são hoje seus inimigos.

Patrício foi bastante criticado por atender com a verba publicitária da casa os grandes veículos de comunicação da capital. Apesar de ter dado todo o suporte de que Agnelo Queiroz precisou, Patrício não foi digno de sua confiança para ser reconduzido a presidência do Legislativo.

Na eleição para a nova composição da Mesa Diretora Patrício foi um dos responsáveis pela condução de Eliana Pedrosa como representante da oposição, impondo uma derrota ao governador que bancou a candidatura de Washington Mesquita. Foi durante a presidência de Patrício que teve inicio o processo de investigação que culminou com a cassação do ex-deputado Raad Massouh.

Você que me lê, talvez esteja achando cansativo, é muita história, mas logo vai entender.

Passados onze meses de 2013, o Distrito Federal patina nas incertezas de um horizonte político sombrio.

Na Câmara Legislativa os deputados distritais arrependidos, amargam a administração do colega Wasny de Roure, considerado por muitos como um dos piores presidentes que a casa já teve. “Ele consegue desagradar até aos seus companheiros de partido.”

Já Wasny, conta os dias para virar conselheiro do TCDF. Espera que o conselheiro Manoel de Andrade se aposente. Dizem as más-línguas “que ele espera ansiosamente a promessa feita pelo governador Agnelo Queiroz de fazê-lo conselheiro daquele tribunal, mas Manoelzinho parece não querer largar o TCDF tão cedo.”

Por outro lado, caso falhe o plano A e Manoelzinho não se aposente tão cedo, fontes muito próximas ao ex-governador José Roberto Arruda informaram ao blog que o plano B esta em andamento: “Arruda teria empenhado a palavra a emissários do governador Agnelo de convencer o conselheiro Domingos Lamoglia a pedir a sua aposentadoria. O que deseja Arruda é a aprovação das suas contas do exercício de 2010 pelo plenário da CLDF.”

Com a ida de Wasny para o TCDF por força do plano A ou B, está em gestação um projeto de resolução que mudará o Regimento Interno da CLDF. “Mudado o Regimento Interno, a posse do vice-presidente da casa na vacância do cargo de presidente será automática, não haverá nova eleição. Agaciel Maia virará presidente automaticamente.” Pasmem, mas isso pode acontecer.

No Executivo, 2013 parece que terminará como começou o governo,  aquém do que gostaria Agnelo Queiroz e muitíssimo aquém das expectativas do povo.

Agnelo sofre da carência de quadros para manter a horizontalidade administrativa de seu governo, vale destacar que está a quase 60 dias sem secretário de comunicação, com algumas secretarias cujos titulares respondem interinamente, alta rotatividade de administradores e vendo se aproximar o dia da próxima eleição, Agnelo estica o passo em busca de conquistar o tempo perdido.

Segundo pesquisas não publicadas pela imprensa, os seus problemas na Saúde, Educação e Segurança continuam a lhe causar fortes dores de cabeça. Pastas como a da segurança pública, que embora o secretário da área procure sempre divulgar o contrário, os índices de violência continuam altíssimos e parece que não condizem com os dados revelados pela pasta.

Trabalhando em média 18 horas por dia, quando não está viajando, Agnelo não tem  servido de exemplo ao secretariado, falta garra, determinação e espírito público, salvo algumas exceções.

Diante da operação tartaruga na Policia Militar, na qual seus integrantes buscam exclusivamente o cumprimento de promessas de campanha, o governador atende primeiro aos anseios salariais de outras categorias. Parece não enxergar o risco que corre, caso concorra a reeleição e seja amaldiçoado pela tropa que comanda.

A reivindicação gerou nos últimos dias um mal estar entre o secretário de administração Wilmar Lacerda e o deputado Patrício, sobrou até para o secretário de Saúde Rafael Barbosa, que chegou a contra-atacar desafiando Patrício a entrar nos quartéis pelas portas da frente. Patrício deu o troco e desafiou Rafael a dar explicações sobre a sua pasta. Misteriosamente as brigas pararam e os ânimos foram acalmados.

São tantos imbróglios a administrar que o chefe do executivo local talvez não consiga enxergar os inimigos, ditos “amigos” que o conduzem a um destino de incertezas para 2014.

Voltando a CLDF, 5 deputados vivem a assombração do bicho papão chamado cassação. Sabem agora que com a abertura das comportas que cassaram Raad, suas cabeças estarão a prêmio diariamente, e alguns já começam a ensaiar em coro de que as denuncias veiculadas pela grande mídia do DF têm como fonte a alta cúpula do Buriti. Ledo engano. Faltou combinar o jogo com povo e o xerifão.

Acredito que os blogueiros não cairão nesse canto da sereia,  pelo menos o titular deste blog, vai esperar para ver se o bicho pega ou se o bicho come? A única certeza é que vamos engrossar o coro da música Xô Satanás! em 2014
Informou o Notibrás com informações de Edson Sombra

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: