Filippelli: “O PMDB nacional não impediria o nascimento de uma candidatura própria”

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp


Incentivado por aliados a disputar o governo do DF,  Tadeu Filippelli fala com cautela sobre o assunto. Presidente regional do PMDB, o vice-governador tem analisado pesquisas e já cogita concorrer ao Palácio do Buriti. 

Veja o que Filippelli disse: 


Existe uma pressão para o PMDB lançar candidato a governador no DF? 

Existe no PMDB nacional, em todos os aspectos possíveis. O PMDB tem uma aliança com o PT, muito bem cuidada pelo vice-presidente da República, Michel Temer, de forma muito respeitosa e elegante, mas às vezes o que se nota são algumas dificuldades regionais, uma questão de consciência de que a forma de o PT fazer política não poupa alguns correligionários. 

Se houvesse uma decisão de lançar candidato no DF, a direção nacional do PMDB aceitaria? 

Aqui existe uma aliança e como toda aliança enfrenta dificuldades. Como toda aliança, claro que poderá ser renovada. Pressupõe isso logicamente uma forma de convivência política de respeito. Mas tenho convicção de que em ambiente onde falte a liturgia política, o PMDB nacional não impediria — não só aqui, como em qualquer estado brasileiro — o nascimento de uma candidatura própria. 

Qual é a chance de uma candidatura própria do PMDB no DF? 

Precisamos antes de tudo consolidar a aliança. Só podemos falar em candidatura após as partes conversarem. 

Existe um clima para rompimento? 

Da mesma forma que existem fatos positivos, há fatos negativos que precisam ser bem cuidados. Existem fatos positivos, mas existem negativos. 

Qual é a grande dificuldade? 

Posso garantir uma coisa: não é espaço. Não é tamanho de responsabilidade do governo. Apenas uma forma de convivência e respeito. 

Existe uma chance de essa aliança não ser renovada? 

Tudo se constrói na vida. Se não for construído, logicamente não tem aliança. 

Quando essa decisão será tomada? 

Essa decisão envolve duas partes. Nunca uma parte poderá dizer sozinha. 

Mas qual é o momento de anunciar candidatura? 

Uma aliança se constrói todos os dias. Precisa de atenção todos os dias e não apenas nas horas de necessidade. 

Acredita que poderia ainda voltar a fazer campanha ao lado de Joaquim Roriz? 

Não podemos responder em tese. No quadro hoje, entendo que a primeira opção é a construção da aliança entre PT e PMDB. 
Blog da Ana Maria Campos

Deixe uma resposta

Posts Relacionados

%d blogueiros gostam disto: