GDF anuncia nova Casa Abrigo

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Victor Ribeiro, da Agência Brasília


O Governo do Distrito Federal anunciou a entrega da nova Casa Abrigo, para acolher mulheres em situação de violência e com risco de morte. A nova Casa, em fase de conclusão, recebeu na sexta-feira (27/5) a visita da primeira-dama do Distrito Federal, dona Ilza Queiroz, das secretárias de Estado da Mulher, Olgamir Amância e de Educação, Regina Vinhaes, e a diretora-geral da Polícia Civil do DF, Mailine Alvarenga.

Com instalações mais amplas, o local vai poder atender o significativo aumento da demanda que ocorreu a partir de janeiro deste ano, quando se passou a dar conhecimento público deste serviço oferecido pelo Estado.

O programa Casa Abrigo conta com suporte psicopedagógico, que contempla ações que envolvem atividade física para as abrigadas, atividades lúdicas para os filhos dessas mulheres e ações de caráter sócio-ocupacional. Há ainda apoio assistencial e jurídico em articulação com outras políticas públicas, principalmente nas áreas de saúde, educação e assistência social, na perspectiva da constituição e consolidação de redes de atendimento.

Com o objetivo de gerar renda e promover a autonomia das mulheres, já vêm sendo desenvolvidas atividades como oficinas de artesanato e gastronomia, e cursos de capacitação em massoterapia, com certificação. Na nova Casa Abrigo haverá também biblioteca e videoteca.

No entendimento do GDF, o ato de abrigar as mulheres vítimas da violência constitui um dos pontos fundamentais para a segurança e proteção a serem oferecidas pelo Estado. Nesse sentido, equipamentos públicos como a Casa Abrigo e a unidade de acolhimento temporário de curta duração (Casa de Passagem) assumem papel destacado.

A secretária de Estado da Mulher, Olgamir Amância, o GDF vem trabalhando na elaboração de uma política de abrigamento para mulheres em situação de violência. A reformulação do programa Casa Abrigo e a ampliação dos serviços por meio da criação de uma Casa de Passagem, uma de suas prioridades, garante a efetivação dos dispositivos constantes na Lei 11.340/2006, a Lei Maria da Penha.

“Atribuímos aos espaços uma nova conotação, que rompe com a ideia de um ‘esconderijo’ para mulheres vítimas de violência. Partimos do princípio que as mulheres vítimas de violência são cidadãos de direitos que devem ser garantidos e ampliados no sentido de lhes oferecer condições para o seu empoderamento e emancipação. Ou seja, condições para que superem a situação em que se encontram”, afirma a secretária.

Olgamir Amância acrescenta que o objetivo da Secretaria da Mulher é efetivar uma proposta que transforme a Casa Abrigo e os demais espaços de abrigamento em ambientes de segurança, proteção, mas também em espaços de reconstrução da cidadania, autoestima e empoderamento das mulheres, a partir de valores feministas, da garantia de direitos e pleno exercício da cidadania.

Denúncias
A titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), Mônica Ferreira Loureiro, explicou que denúncias de maus tratos contra mulheres podem ser feitas pelas próprias vítimas. Testemunhas, como familiares, vizinhos ou colegas de trabalho, que percebam sinais de agressão, também podem procurar as autoridades.

“Na Deam, temos o plantão que funciona no telefone 3442-4300 e realiza atendimentos todos os dias, durante 24 horas. Também é possível fazer denúncias de violência contra mulheres pelo 180, do governo federal, que encaminha as denúncias à Deam. E qualquer crime pode ser informado à Polícia Civil do DF, pelo 197”, detalhou Mônica.

A delegada disse que, ao receber a comunicação dos maus tratos contra mulheres, uma equipe do governo visita a vítima de forma discreta, para verificar o estado de saúde e esclarecer os direitos dela.

Doações
De acordo com a diretora da Casa Abrigo, Cenir Maria da Silva, a instituição é mantida por doações. “Basta a pessoa ligar para a Secretaria da Mulher, que a gente manda um carro na casa dela recolher roupas, brinquedos, alimentos e o que mais uma casa comum costuma ter”, afirmou. O telefone da secretaria é (61) 3961-1572.
Foto Foto: Brito

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: