GDF diz que Jornal de Brasília "tentou jogar o secretário de segurança contra o Poder Judiciário"

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram



“O Jornal de Brasília, na reportagem principal de sua edição de hoje, 10 de maio, distorce de forma grave a declaração do secretário de Segurança do Distrito Federal, Sandro Torres Avelar. O que disse o secretário ao jornal é que, em sua opinião, a legislação penal brasileira é branda e necessita ser revista, para que haja o necessário combate à criminalidade. Ao

contrário disso, porém, o Jornal de Brasília distorceu a declaração e tentou jogar o secretário contra o Poder Judiciário, ao publicar que ele dissera que o Poder Judiciário presta um desserviço à sociedade, coisa que o secretário nunca afirmou. Com relação a essa grave distorção, o secretário informa que tomará as medidas judiciais cabíveis.

Além disso, a reportagem do Jornal de Brasília provoca pânico desnecessário na população. Como sabem as pessoas minimamente informadas, a criminalidade tem sido combatida com rigor no Distrito Federal. Uma luta que se reflete claramente nos números. Senão, vejamos:
– O número de homicídios no Distrito Federal caiu 12,8% de janeiro a abril de 2013, em comparação com o mesmo período no ano passado. – O número de tentativas de homicídios caiu 15,5% de janeiro a abril de 2013, em comparação com o mesmo período no ano passado.
Ou seja, houve uma redução significativa no número de crimes contra a vida no Distrito Federal, como consequência do Programa Ação pela Vida.
Sigamos: – O número de latrocínios caiu 55%. A tentativa de latrocínio caiu 28%. – O roubo com restrição de liberdade, o chamado sequestro-relâmpago, caiu 32,9%. – O roubo em comércio caiu 8,6%. – O roubo a posto de gasolina caiu 4,5%. – O roubo de veículo caiu 7,5%, enquanto a frota cresce dezenas de carros por dia. – O furto em residência caiu 16,5%.
O Jornal de Brasília ainda mistura, na sua reportagem, dados que têm de necessariamente subir – porque são demonstrações de produtividade policial – com os demais índices. É o caso do registro de ocorrências, como porte ilegal de armas, tráfico de drogas e uso e porte de drogas. Se tais números crescem, isso é sinal de uma ação mais efetiva da polícia no combate a tais crimes. Assim:
– O registro de tráfico de drogas subiu 19,6%. – O de uso e porte de drogas subiu 28,3%. – O de porte ilegal de armas subiu 32,7%”.

GDF

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: