GDF inaugura carreta oftalmológica em Ceilândia e promete acabar com filas para cirurgias.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

A população do Distrito Federal ganhou mais um modelo de atendimento médico itinerante. A Carreta Oftalmológica, entregue oficialmente nesta sexta-feira (4), realiza, por dia, 800 consultas e 250 cirurgias de catarata.

Segundo o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, a iniciativa atende a uma demanda antiga da população. “Aqui vamos fazer a cirurgia de catarata de pessoas que estão há anos esperando, principalmente os idosos. Somente nesses primeiros 15 dias serão feitas mais de três mil cirurgias, o que levaria anos para acontecer. Vamos atender as pessoas no intuito de zerar a fila de catarata”, garantiu.
Os pacientes são atendidos por uma equipe com oito oftalmologistas e um anestesiologista, além disso, 65 profissionais prestam apoio aos atendimentos. Até o dia 15 de abril a Carreta Oftalmológica funcionará ao lado da nova UPA da Ceilândia, no antigo Ceilambódromo, as consultas e cirurgias são realizadas das 6h às 17h, inclusive aos fins de semana.
Para ter acesso ao serviço, o paciente deve procurar o centro de saúde mais próximo de sua residência para que possa ser cadastrado, inserido no Sistema de Regulação (SISREG) e chamado, por telefone, para o atendimento junto à carreta.
A moradora do Núcleo Bandeirante Mara Rubia, 55 anos, ficou impressionada com a qualidade do atendimento. “Fiz os exames há um ano no Hran e até hoje esperava para ser chamada. Ontem recebi a ligação falando para vir fazer a consulta hoje. O atendimento foi excelente, coisa de primeiro mundo mesmo. Nem acreditei quando me avisaram que a cirurgia já vai ser feita amanhã”, declarou.
A catarata, mais comum em idosos, também pode surgir em crianças. O pequeno William Augusto, 10 anos, descobriu cedo o que é ter a visão comprometida. “É muito ruim para ver desenho e livros, estava vendo mais só com um olho”, afirmou. A mãe do garoto, Maria de Fátima, 30 anos, mora no Guará e é diarista, ela conta que não teria condições de fazer o procedimento por conta própria. “Foi muito rápido, ótimo atendimento. Estava muito difícil para ele enxergar”, disse minutos antes de entrar no centro cirúrgico.
O sistema de atendimento é divido em três carretas, uma para consultas, com quatro consultórios totalmente equipados, outra destinada para o centro cirúrgico e a terceira para depósito de medicamentos, material descartável e aparelhos.
O modelo das Carretas Oftalmológicas é o mesmo utilizado com sucesso nos estados do Pará, Acre, Bahia e Minas Gerais. Além disso, as unidades darão suporte ao atendimento realizado nos hospitais da rede pública de saúde do DF.
De acordo com o coordenador de oftalmologia da Secretaria de Saúde (SES/DF), Rogério Nóbrega, o serviço nos hospitais continuará ocorrendo dentro da normalidade. Além disso, foi aberto um terceiro turno para atendimento ambulatorial no Hospital de Base de Brasília (HBDF).
“Iniciamos também os mutirões de cirurgia oftalmológica no Hospital de Base e no Hospital Regional de Taguatinga. Os procedimentos de plástica ocular, cirurgia de catarata, pterígio, estrabismo, glaucoma e retina ocorrem durante a noite e nos fins de semana”, acrescentou o coordenador.
ATENDIMENTO EMERGENCIAL – Os atendimentos de emergência acontecem nos hospitais regionais da Asa Norte (Hran) e do Gama (HRG), das 7h às 19h. No Hospital Regional de Taguatinga (HRT) e no Hospital de Base do DF o serviço é oferecido 24 horas por dia.
O pronto-socorro de Oftalmologia atende pacientes que apresentam queimaduras químicas e térmicas, perfurações oculares, conjuntivites, úlceras de córnea, glaucoma agudo, traumas oculares e uveítes – inflamação intra-ocular que compromete total ou parcialmente a íris, o corpo ciliar e a coróide (o conjunto dos três forma a úvea). Além disso, são realizados procedimentos cirúrgicos como suturas de córnea, retirada de corpo estranho, evisceração e transplante de córnea.
ATENDIMENTO AMBULATORIAL – Consultas e exames oftalmológicos são realizados em oito hospitais da rede pública de saúde. São eles: HBDF, Hran, HRG, HRT, Hospital Regional de Sobradinho (HRS), Hospital Regional do Paranoá (HRPa) e Hospital Regional do Guará (HRGu), além da parceria com o Hospital Universitário de Brasília (HUB) para transplantes de córnea, glaucoma e vitrectomia.
Para ter acesso ao atendimento ambulatorial, os pacientes atendidos pela primeira vez e os que procuram retorno devem ir ao Centro de Saúde mais próximo de sua residência para serem inseridos no SISREG. A SES/DF entrará em contato com o paciente, informando o dia, a hora e a unidade de saúde em que a consulta ou o exame será realizado.

Agência Brasília

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: