O Maior São João do Cerrado pode ser cancelado por falta de verba

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

De acordo com matéria publicada no jornal Fato Online, O “Maior São João do
Cerrado”, a tradicional festa que chegaria à nona edição, não deve ser
realizado este ano por falta de patrocínio do governo do Distrito Federal. O
secretário de Cultura do DF, Guilherme Reis, descartou ao Fato Online a disponibilidade para o apoio à edição de
2015, justamente “em função da dificuldade financeira vivida pelo
governo”.

Ao comentar a situação, lamentada por
ele, o secretário acrescentou que o episódio do Maior São João do Cerrado se
assemelha ao de “todos os projetos que dependem de recursos
governamentais”. “A festa é um Patrimônio Cultural, pois mobiliza o
turismo, gera empregos e movimenta a economia local. A Secretaria de Cultura
lamenta profundamente a situação”, afirmou Reis.



Mais cedo, a organizadora do evento,
Edilane Pessoa de Oliveira, havia dado um ultimato ao GDF. “Se não tivermos um
posicionamento do governo do Distrito Federal até 30 de junho, cancelaremos a
festa”, antecipou ao Fato Online. Segundo Edilane, o clima é
de “pior perspectiva possível”. “Estamos todos muito tristes. É um descaso
muito grande com a cultura.”

O prazo de 30 de junho seria o limite,
explicou Edilane, para que houvesse tempo suficiente de concluir os
preparativos da grande festa, em Ceilândia, no chamado Forrobódromo. “Estamos
dependendo do GDF. Sem os R$ 3 milhões, não haverá festa”, chegou a decretar a
organizadora.

Se a verba fosse liberada, o evento
ocorreria entre os dias 12 e 15 de agosto, com participações pré-aprovadas das
bandas Calypso e Aviões do Forró. Segundo a Secretaria de Cultura, ainda há a
possibilidade de captação de recursos por meio da Lei de Incentivo à Cultura.

No ano passado, a festa custou R$ 6
milhões aos cofres públicos. Ciente da delicada situação financeira, a organização
retirou todo o aparato cenográfico e conseguiu reduzir os gastos pela metade,
para R$ 3 milhões. Mesmo assim, por ora, o GDF não garantiu um centavo.

Uma das alternativas apresentadas ao
GDF seria, pela primeira vez, cobrar pela entrada na festa. O ingresso sairia
por R$ 10, para ajudar a bancar as despesas, uma vez que nem os patrocínios de
empresas se concretizaram este ano.

Além de não prometer recursos para este
ano, o GDF acumula uma dívida relacionada à festa do ano passado da ordem de R$
3,3 milhões, somando convênio e cachês de artistas nacionais. Os cantores Alceu
Valença, Lenine e Elba Ramalho, cujos pagamentos de shows não foram feitos até
hoje, já notificaram o governo local.

“A falta de diálogo é o principal
problema. Quando você tem uma dívida, tem que sentar e conversar. Não se pode
dizer que não vai pagar e pronto. Não dá para entender essa postura do
governo”, lamentou Edilane.

A Secretaria de Cultura do DF deixou
claro que não há, no momento, qualquer previsão para saldar a dívida restante,
“independente do desejo de todo o governo em fazê-lo”.


Governador confirma que não existe verba para o São João do Cerrado


A assessoria do governador Rodrigo Rollemberg (PSB)
confirmou o que já havia adiantado o secretário de Cultura, Guilherme Reis: o
governo local não disponibilizará qualquer recurso para o evento. Segundo a
assessoria, “o governador reconhece a importância da festa”, mas o
atual quadro financeiro não permite o apoio.

De acordo com o jornal, o evento O Maior São João do Cerrado, que estava previsto
para acontecer em agosto próximo, está cancelado.

Ao ser informada da decisão pela reportagem, a
organizadora do evento, Edilane Pessoa de Oliveira, voltou a lamentar a
situação. “Faltou visão política. A notícia é muito ruim para a
população”, disse ela, reforçando o cancelamento da nona edição do Maior
São João do Cerrado.

“Sem recursos do GDF, não tem festa. Não
estamos predispostos a assumir mais riscos”, comentou Edilane. As dívidas
do evento de 2014 somam R$ 3,3 milhões. 

Pela primeira vez, a organização do evento cogitou
a possibilidade de, este ano, cobrar a entrada na festa, mas, ainda assim, não
seria suficiente para bancar as despesas, ponderou Edilane. Para a edição de
2015, estavam pré-confirmadas atrações como Aviões do Forró e Calypso.

Edilane publicou hoje (24) no seu perfil pessoal que dia no último dia 16, teve uma reunião com vice governador Renato Santana​, e que juntos tomaram a decisão de aguardar ate o dia 30 para ver a posição do Governo de Brasília​ em relação a realização do evento. 


Fonte: Diego Amorim / Fato Online

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: