Governo do DF anuncia novas medidas para combater a insegurança

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

A falta de policiamento ostensivo é atribuída à Operação Tartaruga promovida pelos militares para reivindicar melhorias salariais. A lentidão nos trabalhos tem deixado os moradores do Distrito Federal apreensivos. O GDF anunciou ontem as primeiras medidas dentro de um pacote de providências destinadas a reduzir a sensação de insegurança.

 São elas: instituir o Conselho Disciplinar com autonomia para abrir inquéritos contra as falsas lideranças que estão tomando conta da PM; colocar os oficiais da corporação, a partir de hoje, no policiamento ostensivo nas ruas; e reforçar o controle de entrada e saída de todas as viaturas no quartéis e demais instalações da corporação de forma a monitorar as atividades   policiais. 

Apontados como integrantes do movimento,  os tententes identificados como  Ricardo Pato e Poliglota serão submetidos a processo disciplinar que pode culminar na expulsão da corporação.
A Operação Tartaruga,  promovida na tentativa de forçar o governo a atender   reivindicações, culmina na redução das atividades na área de segurança pública, o que levou a um aumento da criminalidade

Efetivo

De acordo com o mais recente estudo comparativo produzido pela Organização Não Governamental Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), o DF se destaca por apresentar a melhor relação entre efetivo policial e tamanho da população, com 1 policial/135 habitantes,  enquanto os estados brasileiros com os piores indicadores nesse quesito são Maranhão (1 policial/ 710 habitantes), Santa Catarina (1 policial/574 habitantes), Ceará (1 policial/538 habitantes), e Paraná (1 policial/528 habitantes).
No que se refere à remuneração inicial bruta (salário base  acrescido de adicionais, gratificações ou outras vantagens, o estudo apresenta os valores pagos em 31 de dezembro de 2012 por cada uma das 27 unidades da Federação, tornando possível estabelecer um ranking nacional.  
Por esse ranking verifica-se, por exemplo, que enquanto o pior salário pago a cabos e soldados da Polícia Militar em 2012 foi respectivamente de R$ 2.019  e R$ 1.375,71 (pagos pelo PI e pelo Rio Grande do Sul), no DF, essa mesma remuneração foi de R$ 4.449  e R$ 4.122. 

Um dos melhores salários

Os valores pagos pelo DF para cabos e soldados da PM, conforme aponta o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), foi inferior apenas aos realizados pelo Paraná, onde as categorias receberam R$ 5.322,88 e R$ 4.838,98. Entretanto, com a entrada em vigor da Lei 12.804/2013, verifica-se que atualmente a remuneração bruta total de cabos e soldados no DF é de R$ 5.366,24 e R$ 5.117,29.
Os dados coletados pelo FBSP revelam, ainda, que o DF é a unidade da Federação que melhor remunerou os soldados do Corpo de Bombeiros em 2012: R$ 4.956.77. Neste caso, a pior remuneração foi paga por Santa Catarina: R$ 1.696.
Para cabos, o DF pagou a segunda melhor remuneração do País, R$ 5.219,34, ficando atrás apenas do Paraná, que pagou R$ 5.322,88. A pior remuneração para cabos do  Bombeiros em 2012 também foi em Santa Catarina: R$ 1.817.

Bombeiros

Da mesma forma como ocorreu com a PM, com a entrada em vigor da Lei 12.804/2013, cabos e soldados dos bombeiros do DF recebem  R$ 5.366,24 e R$ 5.117,29.

Repasses

A análise dos dois últimos exercícios financeiros revela que as despesas com pessoal das polícias Civil e Militar, e Corpo de Bombeiros representaram 41,47% dos R$ 9,952 bilhões repassados pela União ao DF em 2012, e 41,12% dos R$ 10,695 bilhões repassados no ano passado. Em 2013, o total das despesas com pessoal do Corpo de Bombeiros atingiu R$ 965,5 milhões; com a PM, R$ 2 bilhões e da PCDF, R$ 1.404.278.789,00.

Entidades de classe cobram soluções

A crescente onda de crime tem mexido com todos os setores da sociedade. A Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil no DF (OAB/ DF) estuda medidas judiciais cabíveis, cíveis e criminais, a serem tomadas contra o governador Agnelo Queiroz e o secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar. 
Para a OAB/DF, o governo do DF deve à população ações efetivas de curto prazo e planejamento de longo prazo, onde sejam previstos investimentos programados em tecnologia de informação. “Agentes das polícias Militar e Civil devem ser melhor preparados para o ofício. Devem, para isso, passar por treinamento e avaliações de desempenho cíclicas. É necessária uma verdadeira reorientação das polícias”, diz a OAB.

Reunião

Os empresários também estão preocupados. Por isso, marcaram para as 10h de hoje um encontro para debater o problema da falta de segurança. A intenção é entregar a Agnelo Queiroz um documento elaborado com sugestões para enfrentar a situação. “Enquanto o governo permanece apático e uma parcela da PM prega o atraso no atendimento de ocorrências, os bandidos estão soltos à procura de novas vítimas”, diz o presidente da Fecomércio, Adelmir Santana. 
 
 
Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: