Greve na limpeza e merenda nas escolas públicas do DF vai se ampliar

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


Tudo indica que cerca de cinco mil trabalhadores terceirizados na limpeza e conservação e seiscentas merendeiras nas escolas públicas do Distrito Federal (DF), vão começar o ano letivo de braços cruzados.

Três mil terceirizados da Empresa Juiz de Fora ainda não receberam o 13º salário e parte desses trabalhadores estão sem o salário, tíquete alimentação e o vale transporte do mês e que deveria ter sido pago no quinto dia útil do ano (07/01).

Também sem receber o 13º salário estão cerca de dois mil empregados das empresas Servegel e Real JG, que Igualmente atuam na limpeza das escolas.

Já seiscentas merendeiras da G & E Serviços, também não receberam o 13º salário, elas deverão se unir aos demais trabalhadores e ampliar o movimento de greve na Rede Pública de Ensino do DF.
Indignados, cheios de dividas e passando fome  

Cansados com o jogo de falsas promessas e empurra entre os patrões e a Secretaria de Estado da Educação no DF (SEE/DF), a direção do Sindiserviços-DF, sindicato que representa os trabalhadores terceirizados no Distrito Federal (DF), destacou que a categoria está indignada, endivida, muitos passando fome e a tendência é a ampliação do movimento grevista nas 659 escolas públicas do DF.

O sindicato explicou que já formularam diversas denuncias contra os patrões e a SEE/DF junto ao Ministério Publico do Trabalho (MPT) e a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE/DF) e aguarda uma solução urgente e definitiva.

*Informações Sindiserviços-DF

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: