Guerra de vaidades – Pastores e ex- deputado distrital trocam acusações graves em uma guerra por poder

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Uma
denúncia protocolada ontem no Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT)
contra o ex-vice-governador e ex-deputado distrital Benedito Domingos aponta
que ele teria tentado ludibriar a igreja da qual é pastor. O ex-parlamentar é
suspeito de vender por R$ 7 milhões, sem o consentimento da direção da
congregação, um terreno de 70 mil m² que a Terracap havia cedido para a
Assembleia de Deus construir uma sede, em Samambaia. A denúncia foi feita pelo
advogado e integrante da congregação Rogemberg da Silva Barbo
sa.

De
acordo com a denúncia, Domingos teria negociado o terreno sem a autorização da
igreja — o ato também configura crime por ser proibido vender a terceiros uma
área cedida pelo GDF para instituição sem fim lucrativo. Ao perceber a irregularidade,
a Conamad revogou a procuração que dava ao ex-deputado poderes para falar em
nome da congregação. O contrato de venda da área a uma construtora teria sido
feito em 2010 e afirma que o terreno é da Conamad, “decorrente de Contrato de
Concessão Real de Uso celebrado pela Terracap”.


Mas
de acordo com uma nota no Blog do Donny Silva, a história não seria bem assim, e mostra uma briga ferrenha pelo poder dentro da igreja. Leiam
íntegra da nota publicada hoje.
A estória que Rogemberg ofereceu à emissora de tevê, é
fantasiosa ao extremo. Na verdade, segundo o que este Blog apurou, se trata de
uma tentativa explícita de chantagem contra o presidente da Igreja Assembleia
de Deus Campo de Taguatinga e Região, pastor Benedito Domingos.
Ao vir para Brasília e
apresentar documentos vazios, Rogemberg conseguiu enganar até mesmo experiente
jornalista que desconhece a verdadeira história da figura bastante conhecida
principalmente pelo Ministério Público de Águas Lindas de Goiás.
Vamos relatar aqui a
verdade dos fatos que o Blog apurou:
– Não é de hoje que
sogro e genro tentam derrubar Benedito Domingos da presidência da ADTAG
(Assembleia de Deus de Taguatinga). Gilvando Galdino (que já foi administrador
regional de Taguatinga) e Rogemberg Barbosa tentam a todo custo, ao menos
conseguir para eles as outras três subsedes, igrejas ligadas a ADTAG e
portanto, comandadas por Benedito.
– A última investida da
dupla  ocorreu no dia 29 de junho de 2015, quando o pastor Gilvando
Galdino Fernandes, presidente do Campo de Águas Lindas de Goiás – Jardim
Brasília, acompanhado do Dr Rubens Tavares, tentou convencer o pastor Benedito
Domingos a transferir as subsedes pertencentes ao Campo de Taguatinga para o
Campo de Águas Lindas. A proposta foi novamente recusada. O presidente,
Benedito Domingos, ao final do encontro realizado em sua residência em
Taguatinga, solicitou ao pastor  Gilvando Galdino e seu vice presidente,
pastor Rogemberg Barbosa, que aguardassem reunião junto à Mesa Diretora da
CONAMAD (Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil Ministério de
Madureira) e na presença do líder máximo da denominação Bispo Manoel Ferreira,
porque lá seria o foro apropriado e legítimo para tratar do assunto.
-No dia 03 de julho de
2015, cansado de ser afrontado, caluniado e ameaçado por mentiras e boatos, o
pastor Benedito Domingos reuniu a diretoria da ADTAG em Taguatinga Norte, e
diante de seus pastores desabafou e relatou com detalhes as investidas de
Gilvando e Rogemberg contra a igreja e principalmente contra sua honra.
– Benedito contou que
foi procurado por Gilvando no dia 29 de junho de 2015 para tentar, mais uma
vez, convencê-lo a transferir as três subsedes para ele em Águas Lindas. Diante
da recusa, foi ameaçado por Gilvando.
– O presidente da ADTAG
relatou que chegou a pedir que cessassem as ameaças e chantagens que vinha
sofrendo dos pastores Gilvando Galdino e Rogemberg Barbosa, que chegaram a
dizer que se não fossem atendidos, levariam o caso e outras acusações contra
Benedito, sua esposa, D. Nair Domingos e o campo de Taguatinga, oferecendo
denúncia ao Ministério Público e convocando em seguida, coletiva à imprensa, no
único intuito de provocar escândalos. Visivelmente abalado, Benedito afirmou
ainda diante dos presentes que disse ao pastor Galdino que o caminho não era
aquele, e que assuntos relacionados à igreja, conforme ensinamentos bíblicos,
precisam ser tratados na igreja e que eles deixassem a sede da igreja em
Taguatinga em paz,  e que pensassem mais no crescimento e harmonia das
igrejas do Ministério para o bem da Obra de Deus.
– Ao terminar, Benedito
Domingos encaminhou cópia da ata da reunião ao presidente nacional da CONAMAD,
Bispo Manoel Ferreira, em que solicita convocação de reunião da Mesa Diretora
conjuntamente com Diretoria do Campo de Taguatinga e o pastor Gilvando Galdino,
para deliberar sobre o grave assunto. Setenta e quatro pastores assinaram a Ata
naquele dia.
Ao denunciar o
presidente da ADTAG na televisão, o vice-presidente do Campo de Águas Lindas
cometeu erros grosseiros e pecado fatal: Rogemberg tentou transformar um
contrato em escândalo quando na verdade ele próprio está envolvido em grave
escândalo em sua cidade onde é vereador. Também, como pastor de Madureira,
ofendeu a honra, o nome e o prestígio do Bispo Manoel Ferreira, presidente da
CONAMAD bem no dia da reinauguração do templo localizado na Asa Sul, conhecido
como Baleia (devido ao formato). E também atingiu em cheio o ministério de
Madureira, oferecendo gratuitamente notícia inverídica como se verdadeira
fosse.
O Blog apurou que
Benedito Domingos nunca fracionou e vendeu lote da igreja. Muito pelo
contrário: No governo do DEM, o então governador José Roberto Arruda mandou que
a área destinada à CONAMAD fosse integralmente entregue à UNIÃO (Governo
Federal). Benedito, que era deputado distrital, reagiu, lutou e conseguiu
manter 70 mil metros quadrados da área. Novamente ocorreu outra briga política
e para não perder totalmente o terreno, Benedito conseguiu manter 30 mil m2 e
os 40 mil m2 restantes foram entregues ao governo federal.
Advogado, pastor,
político e membro da igreja Assembleia de Deus desde 1958, Benedito decidiu,
com o consentimento do Bispo Manoel Ferreira, fazer uma parceria com uma
construtora, que faria a edificação de um edifício de mil metros quadrados onde
funcionaria a faculdade da igreja e teria participação na mesma. Entretanto,
para obter registros, a faculdade precisa ser sanada financeiramente, o que foi
feito de comum acordo com a construtora, que pagou à época, R$1, 9 mi (Que
corrigidos, se chega ao valor de mais de R$3 milhões hoje).
A parceria não foi
adiante porque a Faculdade Multi-Educativa, então dirigida por fracos gestores,
não conseguiu a documentação necessária para ir adiante no empreendimento.
Resultado: a parceria foi desfeita porque para aprovar o projeto de construção,
havia necessidade da documentação contábil da Faculdade estar absolutamente
limpa e em ordem. Era preciso reembolsar os gastos que a construtora teve com a
Faculdade, daí o montante de quase R$ 2 milhões. A empresa pagou diretamente a
vários fornecedores da Faculdade, conforme documento apresentado ao Blog.
Nenhum centavo passou pelas contas ou mãos do pastor Benedito, da Igreja ou
 do Bispo Manoel Ferreira. Foi nesse período que Benedito começou a
perceber que havia algo de muito errado na Faculdade, que acabou  fechada
em 2014.
O dono da construtora, homem íntegro e sério, divulgou nota
ontem onde afirma que a parceria foi desfeita e que não ocorreu nada de ilegal.
O vereador e pastor Rogemberg se esquece, talvez pela pouca prática no direito,
que Benedito Domingos nunca negociou área da igreja, até porque, além de ter
juízo e uma procuração do Bispo Manoel Ferreira, ele sabe muito bem que ninguém
poderia adquirir a área da CONAMAD simplesmente porque não possui escritura
pública. Está em fase de regularização.
O que se viu ontem na
tevê, foi uma bravata explícita de um vereador enrolado na polícia e na
Justiça, que tentou desqualificar o presidente da ADTAG, pastor Benedito
Domingos, e que ao mesmo tempo atingiu em cheio o nome da respeitada história
da Assembleia de Madureira, num momento de insanidade imensurável, maligna e
imprópria para alguém que é vice-presidente de um Campo, ou seja: atirou contra
a própria igreja.
O Blog ouviu vários
pastores ligados à CONAMAD e a revolta é gigantesca com o comportamento do
jovem pastor que achou que aparecer na tevê para fazer falsa denúncia contra
outro pastor, é a mesma coisa de subir na tribuna da Câmara de Vereadores e
afrontar o prefeito. Nesta quinta (9), uma grande comissão de pastores levará
ao bispo Manoel Ferreira, pedido formal para que o pastor Rogemberg Barbosa
seja imediatamente expulso da denominação, e que o pastor Gilvando Galdino seja
publicamente repreendido e igualmente expulso diante dos fatos relatados e
constatados por Benedito Domingos e a diretoria da ADTAG.
Nesta manhã, o pastor
Benedito Domingos falará sobre o caso e apresentará todas as provas que
contestam as acusações de Rogemberg, que terá de explicar também,  entre
outras coisas, como se tornou advogado em Goiás sem sequer saber fazer uma
petição de próprio punho.
Ontem à noite, Benedito
recebeu apoio absoluto da maioria dos pastores que compõem o Ministério de
Madureira no DF. Sabem que ele, em mais de 60 anos de Ministério, sempre zelou
pela Igreja e jamais fez qualquer coisa sem o consentimento e conhecimento do
amigo de mais de 50 anos, Bispo Manoel Ferreira, que por várias vezes afirmou
que “ninguém conhece melhor Benedito do que eu, por isso acredito nele”.
Benedito acionou seus advogados para entrarem ainda hoje com processos de
injúria, calúnia, ameaça e extorsão contra seus algozes.
Esta Convenção Nacional
do Ministério das Assembleias de Deus de Madureira promete muito entre hoje
 e domingo. Principalmente para separar o joio do trigo.
Confira abaixo, Ata da
Reunião em que Benedito expôs as ameaçadas sofridas por Galdino e Rogemberg.
Também veja reportagem do Correio Braziliense que naquele momento não deu o
nome de Rogemberg, mas que agora aparece na Denúncia do MPGO”
O
ex-deputado coleciona inúmeros casos na Justiça. No caso da Caixa de Pandora,
ele foi condenado por improbidade administrativa por receber dinheiro para
levar seu partido a apoiar a sigla que estava no governo. Em 2013, ele também
acabou condenado pelo Conselho Especial do Tribunal de Justiça do DF por ter
participado de favorecimento na contratação de uma empresa de sua família em
2008.

Com informações do Correio Web e Blog do Donny Silva

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: