Homem é preso acusado de abusar da enteada em Ceilândia

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Um homem de 38 anos foi preso, na manhã desta quinta (31), suspeito
de abusar sexualmente da enteada de 10 anos. A prisão ocorreu no local
de trabalho do suspeito, uma loja de material de construção, em
Ceilândia.

De acordo com o delegado-chefe da Delegacia de Proteção à Criança e
ao Adolescente (DPCA), Wisllei Salomão, os abusos aconteciam desde 2014.
” O primeiro abuso aconteceu quando a mãe da menina estava grávida do
segundo filho deles. Ela saiu para fazer um exame pré-natal e ele
praticou a ação”, afirmou o delegado.


Ainda segundo Salomão, a polícia chegou até o suspeito após a criança
contar para a professora da escola, na última segunda (28), sobre os
abusos sofridos. ” A menina contou para a professora que gostava do
padrasto, mas que ele fazia coisas erradas”, explicou. Após a denúncia, a
professora acionou o Conselho Tutelar e a polícia entrou no caso. “A
nossa preocupação era tirar o agresso de perto da vítima para resguardar
 a integridade da criança”, esclareceu Salomão.

Abusos
Em depoimento, o padrasto da menina confessou ter cometido o estupro
cinco vezes. Segundo Salomão,  o homem afirmou ” se sentir atraído pela
garota porque ela estava de um jeito diferente’, o delegado disse ainda
que o suspeito afirmou “ter sido seduzido por ela”.

O homem morava com a vítima e a mãe dela há cerca de sete anos. Ele
era o único provedor da renda da família e praticava o crime em casa, na
ausência da mãe. As investigações comprovaram também que a menina
sofria ameaças para não relatar o ocorrido. “Ele dizia para a garota que
caso ela contasse para a mãe, ele (padrasto) seria preso e elas não
teriam como se manter”, ainda segundo Wisllei, o homem ameaçava a garota
ao dizer que “se ela contasse para o pai biológico, ela iria morar na
rua”. Ainda de acordo com o delegado, “em algumas ações, o homem dava
para a criança R$ 5 e a menina utilizava o dinheiro para lanchar na
escola”, ressaltou.

O padrasto da menina é pai de outras duas crianças, uma menina de
quatro anos, e um menino de sete meses. De acordo com a polícia não há
registro de abuso contra elas. Oh homem que não tinha antecedentes
criminais vai responder pelo crime de estupro de vulnerável e, caso seja
condenado, pode pegar de oito a 15 anos de prisão.

A corporação informou que até o momento não ouviu a mãe da criança,
mas descarta a possibilidade do envolvimento materno. A menina continua
sob a guarda da mãe e as duas terão assistência do Conselho Tutelar e de
programas sociais do governo.

*Informações do Jornal de Brasília

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: