A importância dos jornais gratuitos na sociedade.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


Ronaldo Junqueira (Comunidade) Hélio Queiroz (Alô) e Celso de Marco

Por Elton Santos O cidadão brasiliense, de fato, amanhece o dia bem informado. Boa parcela dessa realidade se deve a distribuição gratuita de jornais em diversos pontos estratégicos e nos semáforos nas vias do Distrito Federal. É indiscutível a importância da informação ao leitor, sem valor financeiro, mas de valiosa construção cultural.
E esse foi o tema debatido no programa Diário Brasil, da TV Gênesis. Para conversar com o jornalista e apresentador, Celso de Marco, foram convidados os diretores-presidentes do Alô Comunicação e Grupo Comunidade, Hélio Queiroz e Ronaldo Junqueira, respectivamente.
Após contarem suas histórias empresarias, os dois refletiram sobre a influência que os jornais comunitários exercem na sociedade. Hélio Queiroz destacou que, em termos políticos, o Alô “mostra a realidade e evita fofocas”.
Junqueira abordou o assunto num aspecto mais altruísta. “A gente quer ajudar as pessoas a pensarem, a arrumar emprego e a serem felizes. Esta é a nossa mensagem”, disse o diretor do Comunidade, que também publica o jornal Coletivo.
No Grupo Comunidade há ainda as revistas Vip Moda e Vip Noivas – ambas gratuitas também. A empresa tem 20 anos em Brasília e é a pioneira neste tipo de mercado. Já o jornal Alô caminha para quatros anos de existência, mas já se consolidou no mercado da capital federal.
Crescimento – Mesmo com o advento do jornal eletrônico, o impresso tem seu destaque entre as pessoas. “Os números comprovam que o cidadão prefere gostar de pegar o papel na mão mesmo”, observou Celso. A base para esta afirmação está na última pesquisa do Instituto Verificador de Circulação. Segundo o IVC, o jornal teve crescimento de 3,5%.
Apesar do IVC não considerar a circulação dos jornais gratuitos, os diretores dos jornais Alô e Comunidade também constatam o próprio crescimento. Para se ter uma idéia, juntos, os dois grupos de comunicação distribuem em média 100 mil exemplares por dia. Hélio acredita que cada unidade alcance três pessoas. Nesta soma, chega-se a um número de 300 mil eleitores diariamente. Sem contar os outros jornais gratuitos espalhados pelo DF.
Blogs e colunas – Durante o programa, o blogueiro Márcio Poli, do blog Docafezinho, e o jornalista Odir Ribeiro do blog Rádio Corredor participaram por telefone. Eles ressaltaram a importância dos jornais comunitários para a formação da sociedade e dos blogs. O jornalista Lívio di Araújo, da coluna Ons e Offs, veiculado no Alô também foi citado. Inclusive, Lívio é um dos colunistas mais lidos do DF. Detalhe: todos não cobram nada de seus leitores.
“Não é um paraíso”, ponderou Junqueira sobre todo o trabalho envolvido para se chegar ao produto final. O papel caro e a tributação tiram grandes “lascas” dos cofres dos jornais. Contudo, os empresários ressaltaram o compromisso com o leitor como mola propulsora do negócio.
O deputado distrital Agaciel Maia participaria do programa, mas foi convocado para uma reunião com o governador Agnelo Queiroz. Mas já adiantou que pretende levar esta discussão para o plenário da Câmara Legislativa e incentivar a distribuição dos jornais gratuitos.
O Diário Brasil é apresentado pelo jornalista Celso de Marco na TV Gênesis, canal 30 UHF e 26 da NET, de segunda a sexta-feira, às 13 horas.


Fonte: Blog do Odir.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: