Jovem leva tiro no pescoço após reagir a assalto na porta de faculdade em Ceilândia

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Um estudante de 20 anos do curso de Análise de Sistema levou um tiro no pescoço após, segundo um colega, reagir a um assalto, por volta das 20h30, dessa segunda-feira (7), em Ceilândia (DF). Ele e dois amigos saíam do Iesb (Instituto de Ensino Superior de Brasília), na QNN 31, quando foram abordados por dois criminosos. Ao ser anunciado o assalto, a vítima teria dado um soco em um dos assaltantes e acabou levando um tiro no pescoço.  

De acordo com um dos amigos da vítima, o jovem foi levado ao Hospital Regional da Ceilândia, onde aguarda cirurgia no maxiliar, e passa bem.  Ainda não se sabe se haverá sequelas na fala do universitário. 
A falta de segurança na região é reclamação recorrente entre os alunos da faculdade. Segundo a estudante do 5º semestre de Direito, Janyelle Lima, o perigo é tão grande que os próprios seguranças da centro universitário fecham os portões quando as aulas estão ocorrendo. Segundo a estudante, os alunos já pediram reforço da Polícia Militar, mas as viaturas ficam apenas por pouco tempo e vão embora. 
— A área externa, onde fica a Feira do P Norte, fica escura, sem qualquer iluminação, afirmou Janyelle.    
O estudante de pós-graduação na área de Rede de Computadores, Renato Viríssimo, disse que já foi vítima de assalto no estacionamento da faculdade. Os ladrões levaram o celular e o computador do jovem.   
— Ao redor da faculdade não tem câmera. A gente fica na frente de uma quadra que é ponto de tráfico, frisou o universitário.   
De acordo com a superintendente do Iesb campus Ceilândia, Mirela Berendt, a faculdade prestou toda a assistência ao aluno baleado. Em relação à reivindicação dos estudantes por mais segurança, a professora explicou que o Iesb tem uma relação de parceria com a PM-DF (Polícia Militar do Distrito Federal) e que conta com a presença dos policiais no início, intervalo e final das aulas.
— Temos uma relação boa com a Polícia Militar. Em horários que a gente mais precisa, que são início, intervalo, e no final das aulas, eles estão fzend ronda aqui no entorno. 
Em nota, a Polícia Militar do Distrito Federal (PM-DF) disse que o patrulhamento na área é ostentivo, todos os dias, com viaturas e motos. A PM pede que alunos adotem medidas preventivas, evitando lugares escuros, com menor movimentação e andar sempre em grupo. 
O crime foi registrado 19º Delegacia de Polícia, na Ceilândia. Em nota, a Divicom (Divisão de Comunicação da Polícia Civil do Distrito Federal) disse que delegacia investiga o crime.   
Portal R7

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: