Júri condena dupla que atirou contra policiais durante fuga em Ceilândia

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


O Tribunal do Júri de Ceilândia condenou dois homens que atiraram
contra uma viatura policial durante fuga em carro roubado. O crime ocorreu em
março de 2013, em Ceilândia.

Jackson da Paixão Araújo foi condenado por três tentativas de
homicídio e porte ilegal de arma. A pena imposta foi de  18 anos e 8
meses de reclusão, em regime inicial fechado, além de pagamento de 129
dias-multa à razão unitária de 1/30 do salário mínimo.

Jeová Ramos Rodrigues, por sua vez, ficará preso também por  três
tentativas de homicídio, além de receptação de veículo. Ele foi condenado
a 16 anos e 3 meses de reclusão, em regime inicial fechado, e pagamento de 129
dias-multa.

A ação

Os crimes aconteceram no dia 15 de março de 2013. Naquele dia, por volta
das 10h30, três policiais que faziam patrulhamento ostensivo na Ceilândia foram
acionados para apurar ocorrência de indivíduos armados dentro de veículo
roubado dias antes.

Ao perceberam a aproximação da viatura, os dois homens fugiram. Jackson,
que estava no banco de passageiro, teria sacado uma pistola 9 mm e atirado
contra a patrulha. Após a perseguição policial, os indivíduos se renderam e
foram presos.

Apenas Jackson Araújo, que já estava preso por outra condenação
criminal, esteve presente ao julgamento. Jeová Rodrigues, apesar de intimado,
não compareceu à sessão plenária.

Durante os debates, o Ministério Público do DF requereu aos jurados que
fosse levado em consideração os maus antecedentes e a culpabilidade elevada dos
acusados, pelo fato de a tentativa de homicídio ter sido contra policiais. A
defesa, por sua vez, sustentou não haver provas suficientes para condenação dos
acusados.

Reunidos na sala secreta, os jurados votaram pelos quesitos acusatórios
e rejeitaram a absolvição. Ao proferir a sentença, o juiz-presidente do júri
determinou a prisão dos acusados.

Jackson deverá continuar custodiado no estabelecimento prisional em que
se encontra. Contra Jeová, ausente no julgamento, foi decretado mandado de
prisão imediata.

Informações TJDF

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: