Justiça pode mudar composição da Câmara Legislativa.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Deve ser julgado nos próximos dias recurso que pode tirar Benício e colocar tucano

 O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pode modificar a composição da Câmara Legislativa do DF ao julgar dois recursos contra a eleição do deputado distrital Benício Tavares (PMDB) que tramitam na Justiça Eleitoral. Caso a ministra Cármen Lúcia (relatora do caso) reconsidere sua decisão ou encaminhe o processo ao TSE, com plenário composto por sete ministros, para nova decisão, o ex-deputado distrital Raimundo Ribeiro (PSDB) pode reaver a cadeira e ser mais um tucano na Casa, tirando uma vaga do PMDB. A briga foi travada logo após o resultado das eleições, quando Benício conseguiu, na Justiça, a vaga de deputado, tirando Ribeiro da Câmara.

A ministra liberou o registro de candidatura à reeleição de Benício que, como teve 17.558 votos, acabou deixando sem cadeira o tucano, que conseguiu 12.794 votos. O peemedebista havia sido barrado pela Justiça com base na Lei da Ficha Limpa, devido condenação por apropriação indébita de recursos da Associação dos Deficientes Físicos de Brasília. Outra condenação caia sobre o deputado: propaganda eleitoral. Ele havia sido sentenciado ao pagamento de multa no valor de R$ 5.320,50, que não efetuada até 05 de julho de 2010 (data limite para registro das candidaturas).
Segundo fonte do TSE, o julgamento pode ocorrer entre hoje e amanhã. A defesa de Benício argumenta que a Lei da Ficha Limpa não se aplica às eleições de 2010. Quanto à multa não paga em tempo hábil, solicita que seja reconhecido o pagamento realizado em 16 de julho de 2010. O PSDB, por sua vez, pede a aplicação da Lei da Ficha Limpa.
As ações na Justiça Eleitoral contra o deputado Benício foram movidas pelo PSDB %u2013 partido de Raimundo Ribeiro – e Antonio Leitão, membro da Associação dos Deficientes Físicos do DF. O pedido é que a ministra Cármen Lúcia reconsidere a matéria ou a leve ao plenário do TSE, para julgamento dos demais ministros.
Da Redação do Jornal Alô Brasília

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: