Luziânia: Cristóvão lidera; Marcelo põe bloco na rua.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Com a desistência do PSDB de Luziânia em disputar a prefeitura por falta de um nome com densidade eleitoral para desbancar Cristóvão Tormin (PSD), líder na corrida para ocupar a cadeira de Célio Silveira, partidos que haviam se comprometido com o tucano começam a emitir sinais para o pessedista de que querem conversar.

Um dos fatores que mais estimulam estas siglas, conforme especulações dos aliados de Célio, sem dúvida é a pesquisa Serpes — segundo a bolsa de especulações —, encomendada pelos tucanos com os prováveis candidatos a prefeito. Na pesquisa, Cristóvão mantém a dianteira com 44,5%, Didi Viana (PT) 18,6% e Marcelo Melo (PMDB) 12,6%. Um dado que chama a atenção, conforme uma fonte que viu os números, foi o índice de rejeição. O petista Didi Viana amarga o primeiro lugar negativo com 28%, Marcelo 26% e Cristóvão 9%. Na espontânea, Cristóvão leva vantagem com 20% pontos, Célio Silveira, que não é candidato, 2,3%, Eliseu Melo que também não é candidato, 1,8% e Marcelo 0,3%.

Como se trata de pesquisa encomendada pelos adversários, Cristóvão não quis comentar, limitando a dizer que continua articulando. “Estamos conversando com todos os partidos humildemente, sem arrogância ou imposições, para juntos, construirmos uma nova realidade para a população de Luziânia.” Questionado sobre o fato de que ainda está faltando seis meses para a disputa eleitoral e muita coisa pode mudar, como por exemplo, Marcelo Melo crescer, pois conta com o apoio da máquina comandada por Célio, o pessedista sorriu e citou um provérbio árabe de que “o maior erro é a pressa antes do tempo e a lentidão ante a oportunidade”. Ou seja, ele articula um leque de alianças para viabilizar e consolidar ainda mais sua candidatura a prefeito. “Nós estamos conversando com todos os partidos, sem pressa, mas atentos aos movimentos de nossos adversários.”

Um empresário que apoia Cristóvão disse que muita “água vai correr embaixo da ponte, principalmente se este escândalo Carlos Cachoeira chegar até Luziânia; muita gente boa vai sair do páreo”, conta enigmático. Nas contas de Cristóvão, seu leque de apoio pode ter 15 partidos na coligação.

Do lado de Célio Silveira, mesmo com a reação negativa do PSDB regional com a aliança montada com Marcelo Melo, a esperança dos apoiadores é que o governador Marconi Perillo dê as bênçãos como no primeiro mandato de Célio. A época, ele teve como vice Hélio Roriz, também peemedebista, e novamente nesta gestão que finda, Eliseu Melo que era do PMDB e que se filiou recentemente ao PSDB para disputar a prefeitura. O problema foi que ele não empolgou a plateia votante e desistiu da empreitada. Há mais ou menos 15 dias, Célio se reuniu com vereadores da base aliada e pediu empenho na divulgação do nome de Marcelo como pré-candidato apoiado pelo PSDB. Célio acredita que o favoritismo de Cristóvão pode ser demolido. “Marcelo entrou agora na disputa e tem todas as credenciais para crescer nas pesquisas. Além de ter sido um deputado federal atuante na região e ter um grande capital político, ele tem empatia com o cidadão.”

Jornal Opção.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: