Luziânia – GO: Gastão Leite pode ser vice de Joaquim Roriz em Luziânia

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

O secretário extraordinário do Entorno, Gastão Araújo Leite (PSDB), deve ser o vice de Joaquim Roriz (PSC), caso o ex-governador venha mesmo a disputar a eleição para prefeito de Luziânia. Apesar de Roriz ter vários problemas com a Justiça, inclusive a eleitoral, o prefeito Célio Silveira (PSDB) vai apoiar uma eventual candidatura de Roriz a prefeito. “Ele me apoiou duas vezes e tem um grupo forte em Luziânia”, explica o prefeito. O vice-prefeito, Eliseu Melo (PMDB), que era o candidato natural à sucessão de Célio Silveira, “abre mão da candidatura para Roriz sem dificuldade”, afirma Célio Silveira, e, com isso, perde também a cadeira de vice. Ele não soma votos, uma vez que faz parte do grupo de Roriz na cidade. Daí a opção por Gastão Leite, que era vereador antes de assumir uma pasta no governo estadual. A chapa deve ser puro sangue, já que Joaquim Roriz deve migrar para o ninho tucano, caso decida participar do pleito no município.
A presença de Joaquim Roriz no processo sucessório de Luziânia obriga o PSDB a fazer novas composições, mas não há muitos partidos disponíveis. O DEM pretende lançar candidatura própria e estuda a possibilidade de lançar o ex-vereador Geraldo da Silva, o Geraldão, para reforçar politicamente o partido no município e na região. O PMDB tem um acordo com o PT, que por sua vez tem um acordo com o PTB, do deputado Cristóvão Tormin (PTB), que deve migrar para o PSD. O nome que aparecer melhor nas pesquisas de intenção de voto, da vereadora Cassiana Tormin (PT) ou de Cristóvão Tormin, terá o apoio do outro. Marcelo Melo, do PMDB, havia cogitado disputar a prefeitura antes de ser indicado para diretor da Conab, mas o PT conta certo com seu apoio. Ele, no entanto, não tem condições de ficar em lado oposto ao de Joaquim Roriz.

Mas se de um lado se especula o retorno de Joaquim Roriz para Goiás, Marconi Perillo teria sido sondado para ser candidato a governador no Distrito Federal contra Agnelo Queiroz (PT), em 2014. Marconi já entraria na disputa com 30% dos votos dos eleitores do DF que moram no Entorno. Do DF, seria mais fácil tentar uma candidatura a presidente da República em 2018.

Jornal Opção. 

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: