Mais médicos em Ceilândia

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


O programa Mais Médicos do Ministério da Saúde
está contribuindo positivamente no atendimento dos centros de saúde do
Distrito Federal. Na segunda fase do programa, iniciada há uma semana,
14 profissionais brasile
iros foram
enviados para Brasília. Eles irão trabalhar nas unidades básicas do
Gama, Ceilândia, Recanto das Emas, Brazlândia, Samambaia, Santa Maria e
Riacho Fundo.


Os médicos passaram por três dias de acolhimento.
Os profissionais receberam informações sobre o organograma e
funcionamento da Secretaria de Saúde do DF, diretrizes da Política
Nacional de Atenção Básica e da linha de cuidados dos ciclos de vida
(criança, mulher, adulto, adolescente e idoso), além de temas como
hipertensão, diabetes e asma. Na segunda-feira (7) começaram a trabalhar
nas unidades básicas de saúde.

No dia 9 de setembro, sete
profissionais começaram a trabalhar nas unidades de Atenção Primária da
Secretaria de Saúde do DF (SES-DF). Os médicos do programa atuarão
exclusivamente na Estratégia Saúde da Família (ESF), que envolve centros
de saúde, postos de saúde rurais e urbanos, clínicas da família e o
trabalho das equipes diretamente na comunidade.
Foram
solicitados pela SES-DF ao Ministério da Saúde 97 médicos, na primeira
etapa foram encaminhados 15, nove se apresentaram e somente sete
começaram a trabalhar. Os primeiros profissionais do Mais Médicos foram
designados para Ceilândia, Samambaia, Gama, Brazlândia e Recanto das
Emas. A segunda etapa beneficiará, além destas cidades, Santa Maria e
Riacho Fundo. Os médicos do programa atuarão, por três anos, nas
unidades básicas de saúde, e receberão bolsa mensal de R$ 10 mil,
custeada pelo Ministério da Saúde. Os profissionais generalistas,
atendem crianças, mulheres, grávidas, hipertensos, idosos e diabéticos.
Segundo a diretora de Gestão da Atenção Primária da SES-DF, Cleunice
Ferreira, a Estratégia Saúde da Família consegue resolver até 80% dos
problemas de saúde dos moradores. Além disso, o sucesso desse trabalho
depende de uma equipe qualificada e para isso é necessário o quadro
completo. “Esses profissionais reforçarão o atendimento prestado à
população. Há uma dificuldade na fixação de médicos nas equipes que
atuam nas periferias de Brasília. Então, esses médicos vão proporcionar
de fato o atendimento completo”, ressalta a diretora.
Unidade contemplada
O Centro de Saúde n° 9 de Ceilândia passou a contar com um profissional
do programa, o que reforçará o atendimento junto aos moradores do
condomínio Por do Sol. “A vinda de uma médica melhorou a situação geral.
A população está mais bem assistida, principalmente a do Por do Sol. A
equipe responsável pela área do condomínio estava sem médico há uns três
meses. Para o atendimento ser completo é fundamental a presença de um
médico na equipe”, destacou Solange da Silva, gerente do Centro de Saúde
nº 9 de Ceilândia. 
Além de atender os moradores do condomínio
Por do Sol na Estratégia Saúde da Família, a médica enviada pelo
Ministério da Saúde ainda trabalha 8 horas semanais prestando
atendimento a toda população que chega ao posto, tanto em casos de
consultas marcadas como casos agudos.
Opinião da população
Os pacientes do Centro de Saúde nº 9 de Ceilândia estão felizes com a
chegada da médica. O casal Maria Helenice de Andrade e Luziano de
Andrade, são moradores do condomínio Pôr do Sol e estavam aguardando
ansiosamente por uma consulta. “Está todo mundo elogiando o trabalho da
nova médica. Nós estávamos sem médico há muito tempo. Toda a comunidade
precisa de um acompanhamento médico frequente. Por isso, o Ministério da
Saúde deve encaminhar o maior número possível de médicos”, destacou
Luziano.
Para James de Alessandre, o programa Mais Médicos
beneficiou todas as pessoas que buscam atendimento no centro. “Agora
ficou mais fácil conseguir uma consulta, pois aumentou o número de
médicos. Por enquanto, só mandaram uma profissional para cá, mas é
preciso aumentar esse número para que toda a comunidade consiga
atendimento frequentemente”, alertou. Já Cleonice Pereira, dona de casa,
informou que não tem motivos para reclamar, afinal, está conseguindo
atendimento com facilidade e rapidez.
JURANA LOPES
Redação Jornal da Comunidade

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: