Massa de manobra.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

O SindSaúde DF convocou no dia 21 de junho um indicativo de greve com as seguintes reivindicações: incorporação total da GATA, aumento do tíquete alimentação e implementação do plano de saúde para os servidores. Ora, ora senhores, são reivindicações antigas e justas sem duvida, mas nada que não possa ser negociado ao longo do tempo com o Governo do DF. Com duas dúzias de servidores, que eles dizem tratar de dez mil, ostentam uma faixa que diz realmente suas intenções “Agnelo, servidores fizeram a diferença na sua eleição, agora faça a diferença na vida do servidor”. Que significa isso? O SindSaúde está cobrando favores de campanha? Que história é essa ?
Não temos carta do Governo para defendê-lo, o que nos motiva é o conhecimento que temos do funcionamento do SindSaúde, onde trabalhamos durante alguns meses, justamente  na campanha de 2010. Por isso cabe a nossa preocupação e nossa pergunta para a população e para os servidores da saúde?
É de fato necessária esta greve? Quem é o prejudicado com essa greve?
Fomos agora a pouco ao site do SindSaúde, site que o presidente da entidade usa para se promover (veja foto do cidadão em primeiro plano), e lemos uma carta redigida pelo mesmo, justificando a acusação de que ele não tem interesse outros, que não a greve em si. Por isso nos sentimos mais motivada para explicar, que o senhor presidente do SindSaúde se defende do indefensável.
A sua motivação, é sim politica interesseira. Com apenas cinco mil votos na campanha de 2010, o tal senhor, sonha em ser contemplado com uma vaga na Câmara Legislativa, sonho que ele professa aos quatro ventos, e que dependeria apenas de algumas arrumações no quadro do Governo. Como isso não foi feito até agora, ele tenta forçar uma negociação, levando a categoria a uma greve imoral.
O senhor presidente do SindSaúde, não tem nenhum respeito pelos trabalhadores, muito menos pela população de Brasília, que ainda pena nas filas dos hospitais. É só puxar na Justiça do Trabalho, quantas ações responde o Sindicato, por não pagar, como manda a lei, os direitos trabalhistas dos seus funcionários. È só investigar quantos trabalhadores lhe presta serviço, e que ele, como manda a lei, não faz o deposito do INSS, FGTS etc.? O presidente do SindSaúde não respeita o trabalhador do seu sindicato, e muito menos a categoria que preside, tanto que a conduz para caminhos do seu próprio interesse.
O senhor presidente do SindSaúde, também poderia explicar para população de Brasília, como ele, servidor de carreira do GDF, montou durante o processo eleitoral de 2010, três comitês de campanha, para angariar cinco mil votos. Como ele desmontou o Sindicato, levando para seu comitê, desde funcionários, cadeiras, mesas, computadores, tudo ou quase tudo do Sindicato da Saúde. Também precisa explicar como ele pagou aluguel das casas, e salários dos funcionários, e todas as despesas que foram feitas durante a campanha eleitoral¿ Teria sido com o salário que recebe do GDF¿
Esse senhor, há mais de 20 anos presidindo o SindSaúde, perdeu a noção do público e do privado. A diretoria do SindSaúde,  precisa prestar contas aos seus associados do patrimônio da entidade, que hoje está ameaçado de desaparecer, tantas são as ações na Justiça do Trabalho. Nenhum funcionário que lá trabalhou e saiu da entidade, (geralmente mandados embora sem nenhuma justificativa), recebeu seus direitos trabalhistas. Todos recorrem a justiça para isso.
A atual diretoria do SindSaúde , na minha modesta opinião, não está credenciada a conduzir essa greve de maneira isenta. Os servidores da saúde precisam ficar atentos sobre os rumos do movimento grevista, e não se deixarem enganar como massa de manobra por sua diretoria. E a saúde do povo de Brasília agradece!

Câmara em pauta.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: